Resenha - Orange

Título: Orange
Título Original: Orange
Volumes: 6
Autora: Ichigo Takano
Editora: JBC
Páginas: 224
Saiba mais: Skoob
Comprar: Submarino // Americanas


Sinopse: Na primavera do segundo ano do colégio, chega uma carta vinda de dez anos no futuro. Nela, estava contido o desejo da Naho de 26 anos para a Naho de 16 anos, dizendo para ela não passar pelos mesmos arrependimentos que eu passei. E a Naho adolescente vai descobrir que o arrependimento é em relação ao Kakeru Naruse, o aluno novo que é transferido de Tóquio e o motivo da Naho adulta ter escrito a carta!


A Trama: Naho é uma colegial que te uma vida normal, até o dia em que chega em casa e recebe uma carta. Ela foi escrita pela própria Naho dez anos no futuro e contém algumas mensagens importantes. O pedido principal da carta é para que ela salve Kakeru Naruse, um menino que irá entrar em sua sala no dia seguinte. Ao perceber que todos os eventos descritos na carta passam a acontecer de fato quando o esperado dia chega, Naho precisa prestar atenção ao seu redor e decidir se vai ou não confiar na sua eu do futuro.




Personagens: Naho é a clássica estudante colegial dos mangás então ela não se destacou muito pois apenas segue o padrão que nós já podemos esperar de uma personagem assim. Porém, o Kakeru é um dos focos que torna a narrativa mais interessante. Ele possui muitas nuances e detalhes que a autora fez questão de desenhar bem para que pudessemos entender o que ele pensa. É possível ver nos próprios desenhos e falas do personagem que existe muito mais por baixo do que ele aparenta e o quão intensos são seus sentimentos. Suwa, um dos amigos do grupo de Naho e Kakeru, também ganha um papel em especial, mostrando um senso muito forte de amizade e amor que supera qualquer dificuldade.




Capa, Arte e Background: As capas de todos os mangás sempre se dividem nas versões adolescentes e adultas dos personagens, o que eu achei um toque muito bonito e que já passa a ideia da narrativa. O desenho em si é bem leve e delicado, o que eu também gostei bastante. Acho que é exatamente essa sensibilidade que a autora passa no desenho que também é passada na mensagem da narrativa, principalmente por se tratar de um tópico bastante delicado. O background é geralmente mais limpo ou, em grande parte, composto de flores e árvores, que também tem esse mesmo toque delicado e que, no geral, casa muito bem com toda a mensagem do mangá de conforto e sutileza e com a história sendo contada.




ConcluindoNão quero dar spoilers aqui, mas preciso dizer que essa série é curtinha e a mensagem é muito mais do que parece ao primeiro olhar. Acima de toda a questão de romance que já é esperada entre Naho e Kakeru, o que se destaca nessa história é a amizade do grupo e o papel importantíssimo que essa estrutura tem na solução de problemas. A forma com a qual todos os amigos se unem para ajudar um só (isso sem nem levantar a questão de nem eles saberem ao certo se a carta enviada é real) mostra que ainda há esperança e pessoas boas capazes de demonstrar o único sentimento que supera tudo: o amor.


Setembro Amarelo (pode conter spoilers, mas também serve como aviso de gatilho caso você seja muito sensível ao tópico): Kakeru passa por um processo bem intenso de depressão durante o livro, com o qual ele batalha diariamente. Naho e seus amigos são fundamentais para ele nesse processo. Se você se sente da mesma forma que o Kakeru ou então conhece alguém que esteja passando por uma situação parecida, é sempre importante procurar ajuda, principalmente a profissional. Você pode entrar em contato com o CVV (Centro de Valorização da Vida) por telefone, através do número 188 - válido em todo o território nacional -, ou pelo site www.cvv.org.br