Resenha - O Bazar dos Sonhos Ruins

Título: O Bazar dos Sonhos Ruins
Título Original: The Bazaar of Bad Dreams
Livro Único.
Autor: Stephen King
Editora: Suma de Letras
Páginas: 528
Ano: 2017
Saiba Mais: Skoob
Comprar: Amazon // Saraiva // Submarino // Livraria da Folha

SinopseMestre das histórias curtas, o que Stephen King oferece neste livro é uma coleção generosa de contos – muitos deles inéditos no Brasil. E, antes de cada história, o autor faz pequenos comentários autobiográficos, revelando quando, onde, por que e como veio a escrever (ou reescrever) cada uma delas. Temas eletrizantes interligam os contos; moralidade, vida após a morte, culpa, os erros que consertaríamos se pudéssemos voltar no tempo... Muitos deles são protagonizados por personagens no fim da vida, relembrando seus crimes e pecados. Outros falam de pessoas descobrindo superpoderes – como o colunista, em “Obituários”, que consegue matar pessoas ao escrever sobre suas mortes; ou o velho juiz em “A duna”, que ainda criança descobre uma pequena ilha onde nomes surgem misteriosamente na areia – nome de pessoas que logo morrem em acidentes bizarros. Em “Moralidade”, King narra a vida de um casal que vai se despedaçando quando os dois mergulham no que, a princípio, parece um vantajoso pacto com o Diabo. Incríveis, bizarros e completamente envolventes, essas histórias formam uma das melhores obras do mestre do terror, um presente para seus Leitores Fiéis.

A TramaO livro é uma antologia de contos do mestre do horror, além da inclusão de dois poemas (dos quais não fui muito fã, por não ser um gênero que me agrada muito). Quando se lê um livro de contos, é quase impossível você gostar dele todo, e não foi diferente com O Bazar dos Sonhos Ruins. Inclusive, parte dos contos são bem medianos. Posso citar como exemplo o primeiro, Milha 81, que apesar de ter uma boa aura de terror, quando acaba parece que ficou faltando um pedaço da história; Premium Harmony, para mim, foi o pior de todos, sem propósito, com uma história e desfechos bem rasos. Falando dos meus favoritos, Garotinho Malvado foi o mais assustador de todos, daquele de dar arrepios em cada parágrafo; Ur é bem interessante e eu terminei a história querendo mais. Fala sobre um cara que resolve aderir a "moda" do Kindle, e acaba chegando um cor-de-rosa em sua casa, que logo mais se mostra ser um dispositivo para ler muito mais do que textos já publicados. Há outros interessantes também, como Batman e Robin Têm Uma Discussão, Moralidade e Obituários, todos ali na faixa das 3 estrelas.


Capa, Diagramação e EscritaEu gosto bastante da capa. Apesar das imagens "genéricas", ela combina com o livro. A diagramação é a usual da Suma, confortável para leitura. Como é uma antologia, o autor brinca com algumas formas de narrativa em cada conto, mas todos têm aquele "gostinho Stephen King". Os contos são bem escritos, apesar de nem sempre serem bons ou possuírem desfechos satisfatórios. Porém, você fica com vontade de ler novamente aqueles que mais gostou.

Concluindo
Num todo, o livro conta com 18 contos e 2 poemas. Grande parte dos contos teve uma média de 3 estrelas para mim, o que significa que são bons, mas poderiam ser melhores. De qualquer forma, vale a pena para os fãs do King terem em sua coleção. Se você não se interessou por todos esses contos, alguns foram publicados gratuitamente pelo próprio autor (em inglês), então talvez valha a pena dar uma pesquisada. Caso esteja querendo começar a ler livros do Stephen King, definitivamente não recomendo como primeiro contato. Minhas recomendações (baseadas nos livros que li) são: Misery, Joyland, Mr. Mercedes ou Novembro de 63 (pra começar, depois pode ler tudinho que o tio King é top - na maioria das vezes).