Resenha - Interferências

Título: Interferências
Título Original: Crosstalk
Autora: Connie Willis
Editora: Suma de Letras
Páginas: 464
Ano: 2018
Saiba mais: Skoob
Comprar: Amazon // Submarino // Saraiva 

Sinopse: 
Combinando humor e romance, Connie Willis, ícone da ficção científica, entrega um livro envolvente sobre os perigos da tecnologia, do excesso nas redes sociais e... do amor. Em um futuro não muito distante, um simples procedimento cirúrgico é capaz de aumentar a empatia entre os casais, e ele está cada vez mais na moda. Por isso, Briddey Flannigan fica contente quando seu namorado, Trent, sugere que eles façam a cirurgia antes de se casarem — a ideia é que eles desfrutem de uma conexão emocional ainda maior, e que o relacionamento fique ainda mais completo. Bem, essa é a ideia. Mas as coisas acabam não acontecendo como o planejado: Briddey acaba se conectando com outra pessoa, totalmente inesperada. Conforme a situação vai saindo do controle, Briddey percebe que nem sempre muita informação é o melhor, e que o amor — e a comunicação — são bem mais complicados do que ela esperava. Mais complicado do que ela esperava.

A TramaO livro trabalha com a ideia de um mundo no qual existe um procedimento que pode ser feito para aumentar a afinidade entre casais, o que inclui também telepatia entre eles. Briddey, antes de se casar com seu namorado, Trent, decide fazer o procedimento, mesmo sendo alertada por diversas pessoas a não continuar com essa ideia. O problema acontece quando, após o procedimento, Briddey, se conecta com outra pessoa que não é seu namorado.

Os Personagens: A autora soube fazer muito bem os personagens e desenvolver seus papéis na trama. Gosto quando me irrito com um personagem mas sinto que ele foi feito para ser assim, que é o que aconteceu em algumas partes com Briddey. Ela representa, na verdade, grande parte da sociedade e como muitos reagiriam de forma correta com os fatos narrados. Por isso, achei que a representação dos personagens do livro foi muito bem desenvolvida.

Capa, Diagramação e Escrita: A autora é um dos grandes nomes da ficção científica e, por isso, não deixou a desejar no livro. Apesar de ser uma leitura mais leve, ainda é possível ver várias críticas sociais, principalmente ao modelo de vida tecnológico que estamos vivendo atualmente. Achei apenas que, em alguns pontos da metade final, o livro tende a ser um pouco mais lento e mais repetitivo do que eu gostaria e isso acontece principalmente por conta do tamanho dele - talvez uma narrativa um pouco mais curta tivesse funcionado melhor.


Concluindo: Esse livro é tão atual que é chocante. Todo o tema de mídias sociais e o quanto elas impactam nosso dia a dia já fez valer grande parte do livro pra mim. Eu gostei muito de que a autora tenha conseguido fazer críticas à sociedade e à questão de termos muita exposição à mídia, às informações que nos são despejadas diariamente e, ainda assim, manter o livro com uma história de tom mais leve, como que uma comédia romântica. É um bom livro para quem quer começar a ler ficção científica pois a autora não investe muito nesse quesito da narrativa, sendo ela mais fluida e voltada ao romance.