Resenha - Entre Quatro Paredes

Título: Entre Quatro Paredes
Título Original: Behind Closed Doors
Autor: B. A. Paris
Editora: Record
Páginas: 266
Ano: 2017
Saiba Mais: Skoob / Goodreads
Comprar: Amazon 

Avisos de gatilho: violência doméstica, cárcere e violência num geral.

Sinopse: Grace é a esposa perfeita.Ela abriu mão do emprego para se dedicar ao marido e à casa. Agora prepara jantares maravilhosos, cuida do jardim, costura e pinta quadros fantásticos. Grace mal tem tempo de sentir falta de sua antiga vida.
Ela é casada com Jack, o marido perfeito.
Ele é um advogado especializado em casos de mulheres vítimas de violência e nunca perdeu uma ação no tribunal. Rico, charmoso e bonito, todos se perguntavam por que havia demorado tanto a se casar.
Os dois formam um casal perfeito.
Eles estão sempre juntos. Grace não comparece a um almoço sem que Jack a acompanhe. Também não tem celular, que ela diz ser uma perda de tempo. E seu e-mail é compartilhado com Jack, afinal, os dois não guardam segredos um do outro. Parece ser o casamento perfeito. Mas por que Grace não abre a porta quando a campainha toca e não atende o telefone de casa? E por que há grades na janela do seu quarto?
Às vezes o casamento perfeito é a mentira perfeita.

A TramaAparentemente, Grace e Jack são o casal perfeito. Nunca brigam, estão sempre juntos e só têm elogios um para o outro. Mas quando as visitas vão embora e as portas se fecham, as coisas não são bem assim.Pra quem ler a sinopse, o livro é exatamente o que aparenta ser, sem muitos mistérios nesse quesito, acompanhar o desenvolvimento dessa história é o que a torna viciante - tanto que li o livro em um dia. E que livro angustiante! Foi quase impossível colocar ele de lado, e quando tive que fazer, só conseguia pensar na história. A leitura acaba sendo muito rápida, porque o leitor (eu, pelo menos) só quer ler mais da história para ver Grace finalmente sair daquela situação (ou qualquer final que a autora dê para a história, o importante é que aquela angústia a cada página acabe!). Isso não torna o livro ruim, pelo contrário, mostra que você já se importa tanto com a protagonista, que precisa finalmente libertá-la (terminando o livro). O final foi um pouco previsível, mas gostei de como aconteceu e dos elementos envolvidos.

Os PersonagensGrace era uma mulher independente, feliz e segura de si, até que conhece Jack, por quem se apaixona perdidamente desde o começo. Ao longo do livro vamos vendo que ela ainda tem uma força enorme dentro de si, apesar de, aparentemente, estar em uma situação irreversível, em que não consegue escapar de seu carcereiro. Jack é a definição perfeita de psicopata: sem escrúpulos, usando seu charme e poder de persuasão para manipular as pessoas, além de ser muito sádico e completamente doente. Não teve uma página sequer desse livro em que eu não quisesse que ele tivesse uma morte lenta e dolorosa. Millie, irmã mais nova de Grace, possui síndrome de Down e é responsabilidade legal da irmã, e uma das partes mais importantes dessa história, afinal a necessidade de protegê-la é o que manteve Grace firme em todo o seu sofrimento. Ela era mais inteligente e esperta do que aparentava, e me surpreendi com sua forma genial de pensar em uma determinada parte. Conhecemos alguns outros personagens, mas não são tão desenvolvidos na trama; só queria dizer que amei muito a Esther no final do livro.

Capa, Diagramação e Escrita: A capa é bem genérica, mas passa a ideia da história. A escrita da autora é viciante e faz você ter exatamente o sentimento esperado: angústia e ódio! Foi uma leitura super rápida e eu sempre queria estar lendo o livro até finalmente acabar, mas ele com certeza vai despertar um lado meio vingativo em quem ler.

Concluindo
Entre Quatro Paredes é um livro para ser lido em uma tacada só - claro, não é obrigatório, mas você vai querer! -, e faz um tempinho que eu não tinha sentimentos tão fortes em relação a uma história - bons ou ruins. Recomendo para quem gosta de thrillers, apesar de não ter muito mistério, tudo ficar por conta da necessidade de finalmente ver a protagonista livre. Alguns avisos de gatilho para: violência doméstica, cárcere e violência num geral.