Resenha - A Missão Traiçoeira

Título: A Missão Traiçoeira
Título Original: The Traitor’s Ruin
Série: O Beijo Traiçoeiro
1- O Beijo Traiçoeiro 
2- Missão Traiçoeira
3-  The Traitor’s Kingdom (2019)
Autora: Erin Beaty
Editora: Seguinte
Ano: 2018
Páginas: 456
Saiba mais: Skoob
Comprar: Amazon

Obs:. Não há spoilers do primeiro volume da série - O Beijo Traiçoeiro, exceto em Sinopse e Trama.

Sinopse: Sage Fowler abandona seu posto como aprendiz de casamenteira e se envolve em uma nova missão secreta ao lado do capitão Alex Quinn no segundo volume da série O Beijo Traiçoeiro. Depois de se provar uma espiã habilidosa e uma casamenteira estrategista, Sage Fowler passou a ocupar uma posição confortável na alta sociedade, dando aulas para as princesas do reino de Demora. Quando surge a oportunidade de participar de uma nova missão secreta, porém, Sage quer aproveitar a chance para servir ao seu reino mais uma vez — e ficar mais próxima de seu noivo, o capitão Alexander Quinn. Alex não fica nada feliz com a ideia, já que está determinado a proteger a namorada de qualquer perigo.  A insistência de Sage em fazer parte da missão faz com que eles se desentendam cada vez mais e, quando um conflito com um reino vizinho resulta em uma tragédia, os dois acabam separados. Para completar a missão de Alex — e a sua própria —, Sage precisará contar com a ajuda de aliados inesperados para sobreviver em um território inimigo e salvar o reino de Demora mais uma vez.


Trama: Sage é agora a tutora real e a noiva feliz do Capitão Alexander Quinn. Tudo não poderia estar mais perfeito, quando o Rei convoca uma súbita reunião, trazendo a Tennegol não só o noivo de Sage, mas também o Embaixador Gramwell e o Ministro da Inteligência, o Coronel Traysden. Com a promessa de uma nova ameaça cercando o reino, o Rei realoca seus filhos, mas faz questão de não expor seus planos a Rainha e manter a fachada de serenidade recém instituída no reino. Enfurecida com a atitude do marido, a monarca decide tomar as próprias providências. De certa forma, eu estou sempre esperando que as continuações me decepcionem um pouco, principalmente quando são trilogias os livros “do meio” costumam ser transitórios e as tramas têm apresentado um desenvolvimento fraco. É com um imenso prazer que eu anúncio que isso não acontece em A Missão Traiçoeira.


Personagens: Ai, Sage... Já era uma personagem bem formada originalmente e só foi crescendo cada vez mais de forma realista e forte, uma mulher admirável que eu adoraria conhecer e que realmente é muito inspiradora. Alex me irritou um pouco, mas talvez porque o leitor não pudesse observar o ponto de vista dele em vários momentos da trama. Víamos suas ações e até seus objetivos, mas só contemplamos seu modo de pensar um pouco mais para o meio da trama. Apesar da autora expor a situação psicológica dele logo no início da trama, eu senti que ele tinha capacidade pra agir de forma diferente, por isso em alguns momentos ele parecia imaturo e invocava vontades como a de atirar o livro na cabeça dele. Achei que os companheiros de Alex poderiam ter tido um destaque maior na trama,  na verdade não sei bem onde a autora conseguiria encaixar tudo isso, mas eu senti falta de conhecê-los melhor desde o primeiro livro. Clare também se mostrou interessante e diretamente influenciada por Sage, espero mais dela no último volume, ainda mais depois desse final, posso dizer o mesmo de Huzar. Queria comentar das novas personagens, mas tudo que eu disser pode ser considerado spoiler, então serei genérica. Apesar de divertidas e bem estruturadas não há muita criatividade nem na composição e nem nas ações das personagens na segunda parte do livro, embora elas ofereçam um bom plano de fundo para a trama principal e para os protagonistas.

Capa, Diagramação e Escrita: A capa segue o mesmo padrão da anterior, um tanto cartunesca, com uma boa distribuição de cores. A diagramação  é simples, limpa, sem erros e confortável. A escrita de Erin continua dinâmica, envolvente e fluida; acho cada vez mais apaixonante.

Concluindo:  Posso definir Erin Beaty e a série Beijo Traiçoeiro até agora como absolutamente divertido e estimulante. Estava sentindo falta de uma determinação feminina forte e podemos ver isso aqui de várias formas em várias personagens. O segundo volume está ainda melhor que o primeiro, já que o foco não está tanto no casal principal e na construção de seu relacionamento. Aqui podemos ver o resultado do enorme desenvolvimento da protagonista e do amadurecimento de seu relacionamento, tudo bem orquestrado e equilibrado com a trama político-militar.