Resenha - Uma Mulher No Escuro

Título: Uma Mulher No Escuro
Livro Único.
Autor: Raphael Montes
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 256
Ano: 2019
Saiba Mais: Skoob / Goodreads
Comprar: Amazon 

Sinopse: UM CRIME BRUTAL COMETIDO HÁ VINTE ANOS, UMA ÚNICA SOBREVIVENTE, O RETORNO CALCULADO DO ASSASSINO. EM QUEM VICTORIA DEVE CONFIAR? NESTE THRILLER PSICOLÓGICO, RAPHAEL MONTES UNE ROMANCE E SUSPENSE EM UMA NARRATIVA INTRINCADA E SEDUTORA.
Victoria Bravo tinha quatro anos quando um homem invadiu sua casa e matou sua família a facadas, pichando seus rostos com tinta preta. Única sobrevivente, ela agora é uma jovem solitária e tímida, com pesadelos frequentes e sérias dificuldades para se relacionar. Seu refúgio é ficar em casa e observar a vida alheia pelas janelas do apartamento onde mora, na Lapa, Rio de Janeiro.
Mas o passado bate à sua porta, e ela não sabe mais em quem pode confiar. Um psiquiatra, um amigo feito pela internet e um possível namorado — qual dos três homens está usando tudo o que sabe para aterrorizar a vida de Vic? E o que afinal ele quer com ela?

A TramaA história já começa com um prólogo assustador, com a noite em que toda a família de Victória foi assassinada dentro de casa e tiveram seus rostos pichados com tinta preta, e a menina, aos quatro anos, foi "poupada" pelo assassino. Vinte anos depois, Vic tem sérios problemas em se relacionar com as pessoas, tem consultas regulares com um psicólogo e vive analisando a vida dos outros com seu amigo, Arroz. Até que certo dia, ao voltar para seu apartamento, Victória encontra uma pichação em tinta preta na parede do seu quarto, escrito "Vamos Brincar?". O passado voltou para atormentá-la, e aparentemente o Pichador (assassino dos seus pais) está querendo terminar o que ele começou. Uma Mulher no Escuro é um livro que começa muito bem, com uma premissa instigante e isso se prolonga por boa parte da trama. Porém, num geral, achei algumas nuances da história mal exploradas, podendo ter sido melhor desenvolvidas, fazendo desse realmente um livro de tirar o fôlego. Ele me manteve curiosa e querendo ler mais para descobrir o mistério e tal, mas para mim o autor não conseguiu manter a consistência até o final. O plot twist foi um pouco previsível, então não foi grande surpresa quando aconteceu, e isso com certeza tirou o impacto que o livro poderia ter tido em mim.

Os PersonagensVictória cresceu traumatizada, o que é completamente compreensível já que a menina, aos quatro anos, viu toda a sua família ser morta. Achei ela uma protagonista muito bem construída, o que, para mim, o autor pecou na construção e nuances de algumas coisas da trama, ele acertou em cheio com Vic. Toda a sua angústia, seus medos e receios são palpáveis e você consegue compreender tudo aquilo. O livro conta com poucos personagens, e sendo um livro de mistério, acho que seria melhor cada leitor ir conhecendo-os aos poucos.

Capa, Diagramação e EscritaEu gosto muito da capa e ela representa muita bem a história, trazendo ali o ursinho Apu, que a Vic trás como conforto desde a infância. A diagramação é simples e confortável para a leitura. Esse já é o quinto livro do Raphael Montes que eu leio, e eu gosto muito de sua forma de contar histórias, mesmo que em algumas partes não funcione muito bem. Aqui, eu senti falta de um pouco mais de desenvolvimento em certas partes. É um livro que se lê super rápido, porque o mistério deixa o leitor curioso para saber o desfecho, mas algumas coisas poderiam ter sido mostradas de forma mais sutil ao longo do livro, porque chega em certo ponto da história que fica meio óbvio todas as revelações.

Concluindo
Uma Mulher no Escuro é um bom thriller, algumas coisas poderiam ter sido feitas de forma mais sutil, mas no final vale a pena a leitura. Nem tudo é óbvio, algumas revelações me pegaram de surpresa, mesmo assim terminei o livro com a sensação de que poderia ter sido melhor.