Resenha - A Metade Sombria

Título: A Metade Sombria
Título Original: The Dark Half
Livro Único. 
Autor: Stephen King
Editora: Suma de Letras
Páginas: 464
Ano: Edição: 2019 | Original: 1989
Saiba Mais: Skoob / Goodreads
Comprar: Amazon 

Sinopse: Após anos esgotado no Brasil, A metade sombria volta às livrarias como parte da Biblioteca Stephen King, coleção de clássicos do mestre do terror em edição especial com capa dura e conteúdo extra. Compre na pré-venda e ganhe um kit de marcadores exclusivos da Coleção Biblioteca Stephen King. Criar George Stark foi fácil. Se livrar dele, nem tanto. Há anos, Thad Beaumont vem escrevendo, sob o pseudônimo George Stark, thrillers violentos que pagam as contas da família, mas não são considerados “livros sérios” pelo escritor. Quando um jornalista ameaça expor o segredo, Thad decide abrir o jogo primeiro, e dá um fim público ao pseudônimo. Beaumont volta a escrever sob o próprio nome, e seu alter ego ameaçador está definitivamente enterrado. Tudo vai bem. Até que uma série de assassinatos tem início, e todas as pistas apontam para Thad. Ele gostaria de poder dizer que é inocente, que não participou dos atos monstruosos acontecendo ao seu redor. Mas a verdade é que George Stark não ficou feliz de ser dispensado tão facilmente, e está de volta para perseguir os responsáveis por sua morte.

A TramaEsse livro é uma mistura maluca de Misery e Outsider (ambos do King), mas tem sua marca própria também ao longo da história. A ideia para ele surgiu quando o autor teve que "matar" seu pseudônimo, Richard Bachman, com que ele escrevia alguns livros mais pesados do que os publicados pelo seu próprio nome. Partindo desse princípio, ele criou a história de Thad Beaumont, que teve de se livrar do seu pseudônimo, George Stark, quando foi descoberto e decidiu levar tudo à público. O problema é que George Stark não quer estar morto, e arruma um jeito de voltar a vida e se vingar de todos que causaram sua morte. O livro em sua maior parte transcorre de uma forma até lenta, mas todas as informações dadas pelo autor são interessantes para a história, mesmo com suas super descrições de todas as coisas. Os detalhes fazem parte do estilo de narrativa de Stephen King, e é uma das coisas que mais gosto nele. A história, num geral, me agradou e me manteve curiosa até o final, mas alguns momentos no meio não foram tão interessantes assim. Por outro lado, acho que agora é uma das histórias que mais gosto do King.


Os PersonagensOs personagens do King são sempre bem construídos e cheios de bagagem, e não seria diferente com Thad. Ele é um escritor que, anos atrás, querendo publicar algo mais "pesado" que seus livros "normais", acabou criando o pseudônimo de George Stark, iniciando uma série policial, em que o protagonista na verdade é um vilão (ou anti-herói, depende do ponto de vista). Thad é um personagem interessante de acompanhar, e os personagens que o rodeia acabam também moldando sua personalidade, como sua esposa e seus filhos gêmeos. Aliás, essa coisa de gêmeos é um detalhe importante e um pouco perturbador na história, principalmente no início do livro. George Stark, voltando dos "mortos" (entre aspas, porque, tecnicamente, não era para ele existir em carne osso, já que era apenas um pseudônimo), é o ponto forte do livro, um vilão muito bem construído e que chega a trazer aquele sentimento de impotência, porque como se derrota alguém que não existe realmente?


Capa, Diagramação e EscritaEssa edição da Suma está lindíssima, seguindo o mesmo padrão dos outros livros publicados na coleção Biblioteca Stephen King. O tom de roxo é bonito, a ilustração tem a ver com a história e a diagramação também está muito bem feita. O autor trás um mistério muito gostoso de acompanhar, mas também é um dos livros bem descritivos do King, em que ele constrói a atmosfera de cada cena, cada detalhe da história, o que pode se tornar enfadonho para algumas pessoas - mas quando se acostuma com o estilo dele, você tira de letra. No início eu estava tentando encontrar uma solução lógica para o que estava acontecendo, mas depois me lembrei de estar lendo um livro do King, então apenas deixei pela me levar pela sua imaginação doida.

Concluindo
A Metade Sombria é mais uma obra surpreendente e empolgante do Stephen King. Eu já sou suspeita pra falar, já que ele é meu autor favorito, mas realmente vale a pena dar uma chance à leitura. O livro tem alguns momentos mais monótonos, mas no final esses detalhes são super importantes para a construção da trama. Se você ainda não leu nada do King, não recomendo que este seja seu primeiro contato com ele, mas para qualquer um que já for fã do autor: o que você está fazendo que ainda não leu esse livro?!