Resenha - A Rainha Aprisionada

Título: A Rainha Aprisionada
Título Original: The Caged Queen
Série: Iskari
1- A Caçadora de Dragões 
2- A Rainha Aprisionada
3- The Sky Weaver (2019 US)
Autora: Kristen Ciccarelli
Editora: Seguinte
Ano: 2019
Páginas: 376
Saiba mais: Skoob\Goodreads
Comprar: Amazon


Sinopse: No segundo volume da trilogia Iskari, uma nova heroína entra em cena para lutar pela liberdade de seu povo ― e de sua irmã ― em meio a um conflito que apenas começou. Firgaard foi governada durante décadas por um rei tirano e manipulador, capaz de condenar povos inteiros apenas para aumentar seu poder. Depois de uma grande batalha, Asha, sua filha, conseguiu derrotá-lo. E, assim, Dax, o primogênito, assumiu o poder ao lado de Roa, sua esposa. Roa é uma forasteira vinda das savanas ― um território sob o domínio de Firgaard, que há anos é oprimido e está prestes a entrar em colapso. O maior desejo da nova rainha, mesmo sabendo que não é bem-vinda em seu novo lar, é mudar a vida de seu povo. O que ela não esperava era encontrar uma chance de alterar o curso do destino e trazer de volta à vida sua irmã gêmea, Essie, morta quando criança em um terrível acidente. O único obstáculo? O novo rei.

Trama: Após a queda do rei de Figaard, Dax seu herdeiro ocupa seu lugar, mas seu desejo nunca foi ser rei, e ele conduz sua vida e seu reino de forma indiferente e descompromissada. Roa casa-se com ele com o intuito de libertar seu povo da miséria, causada pelos draksors  muitos anos atrás. Roa não é bem vinda em Figaard assim como Dax não é bem vindo nas Savanas. Dormindo em quartos separados e sem consumar o casamento, o Rei e a Rainha mantêm uma relação de fachada. Preocupada com a condição de sua irmã e com a vida de seu povo, Roa decide moldar o destino com suas próprias mãos, mesmo que precise trair e matar para obter o que quer. Fui pega de surpresa com A Rainha Aprisionada, depois de me divertir com A Caçadora de Dragões eu estava ansiosa para rever Asha, Torwin e Kozu, o desgosto me atingiu forte quando vi que a protagonista não era nossa querida Iskari, e passei um terço do livro resmungando - conforme fui lendo e me envolvendo na trama passei a apreciar essa segunda etapa da revolução de Firgaard, e fiquei cada vez mais interessada em seus personagens.

Personagens: Apaixona por Theo, Roa despreza Dax, seu povo, suas crenças e tudo que eles representam; Angustiada ela ainda pensa no noivo a quem fora prometida, mas a quem teve que abandonar em prol de conseguir melhores condições para o povo das Savanas. Obstinada, corajosa, ligeiramente ingênua e muito inteligente, ela luta para manter as aparências em um lugar que a rejeita de diferentes formas - suas ambições e sua sinceridade fazem dela cativante e despertou minha empatia, mas sua ingenuidade muitas vezes me irritava - embora esse parâmetro de sua personalidade seja usado de uma forma aceitável e realista. Dax é um personagem curioso - preguiçoso, desinteressado e enigmático passamos toda a trama tentando entender o que se passa em sua cabeça; eu realmente não esperava que ele fosse tão carismático a ponto de ser tornar o meu personagem preferido nesse universo. Gostaria de destacar alguns outros personagem, mas seus desfechos, e mesmo suas apresentações são mais interessantes ao abordadas na leitura sem conhecimento prévio.

Capa, Diagramação e Escrita: Gosto das capas coloridas, com inspirações em brasões medievais, mas o ar instigante e epopeico das capas americanas despertam a minha leitora eufórica interior. A diagramação é simples e correta e a escrita de Kristen é divertida, absorvente e sua leitura é viciante e rápida. Achei as lendas intercaladas entre os capítulos fracas em relação as do primeiro volume da série, mas entendo que elas funcionam acerca de uma mitologia local, diferente das anteriores que abordavam não só a crença dos Draksors mas narrava poemas épicos.

Concluindo: A série Iskari não é necessariamente criativa apesar de ter pontos originais, não é uma leitura que tenha tanto destaque no gênero de fantasia e aventura, mas é uma leitura divertida, contagiante, até certo ponto memorável. Acredito que ela tem um grande poder para cativar o leitor, (é aquele tipo de leitura que não impressiona, mas você precisa terminar sabe?), espero sua conclusão com entusiasmo.