Resenha - Wild Cards - O Começo

Título: O Wild Cards - O Começo                      Titulo Original:Assassin's Apprentice
Série: A Saga do Assassino # 1
1- A O aprendiz de Assasino
2- (1996 US)
3- (1997 US)
Autora: George R. R. Martin
Editora: Suma de Letras
Ano: 2019
Páginas: 480
Saiba mais: Skoob\Goodreads
Comprar: Amazon


Sinopse: "Wild Cards explora todas as qualidades dos quadrinhos clássicos e da ficção, e acrescenta uma dose de lógica e realismo. É incrível." – The Guardian

Um vírus alienígena atinge a Terra logo após o fim da Segunda Guerra Mundial, dotando algumas pessoas de poderes incríveis ou deformidades abomináveis, e transformando para sempre o rumo da história. Aqueles abençoados com superpoderes físicos ou mentais são chamados de ases, enquanto as pessoas afligidas com habilidades ou características bizarras são denominadas curingas. Alguns usam seus poderes a serviço da humanidade. Outros, para os próprios interesses. Nesse novo mundo, a humanidade busca recuperar seu equilíbrio – e enquanto ases viram heróis nacionais e estrelas de cinema, os curingas são marginalizados e relegados à miséria. No entanto, nem todo ás usa seu poder para o bem, e no Bairro dos Curingas os ânimos estão esquentando – e uma revolta parece prestes a explodir. Wild Cards: O começo é o primeiro livro da Tríade Original, e dá início à série Wild Cards editada por George R.R. Martin, o consagrado autor de A guerra dos tronos. Capítulo a capítulo, um time de grandes nomes da ficção fantástica apresenta personagens complexos e interessantes, e constrói a trama inesquecível de um mundo ao mesmo tempo tão parecido e tão diferente do nosso.


Trama: Tudo começa com o conclusão da Segunda Guerra Mundial, uma nave alienígena pousa na Terra carregando uma arma biológica. O vírus descrito como Carta Selvagem é liberado na troposfera, próxima à cidade de  Nova York, matando uma numerosa parcela da população. Os sobreviventes sofreram diversas mutações, 9% da população de infectados desenvolveu deformidades ou  anomalias, denominados como "Curingas", e um ínfima parcela desenvolveu características especiais (fantásticas) e ganharam a alcunha de "Ases". Confrontos são gerados no mundo todo acerca da relação dos humanos e dos mutantes, principalmente quando os "Curingas" são preteridos aos "Ases", os primeiros sendo tratados como pragas, enquanto os "Ases" eram recrutados como heróis. Fiquei muito empolgada com a sinopse, porque amo ficção científica. De fato se trata de uma trama original e bem retratada, mas talvez tenha faltado a capacidade de cativar.

Personagens: Por ser um livro de contos (na verdade é um romance-mosaico), Wild Cards não oferece um destaque duradouro de seus personagens. Com uma configuração focal, a trama define personas bem construídas, coerentes e interessantes, ambientando o leitor em suas perspectivas de forma suave e instigante. Em alguns momentos, senti falta que a trama se estendesse para um determinado personagem ou ponto de vista, espero que eu possa voltar a lê-los nos próximos volumes. Eu já torci a língua mais de uma vez ao julgar livros de contos, com Wild Cards preciso reconhecer que me senti dividida. As histórias são estimulantes, porém os vários pontos de vista do mesmo acontecimento, tornou a leitura cansativa em algumas passagens. Os personagens apresentam profundidade e verossimilhança, mas por mais que nos cativem, não podemos acompanhar seu desempenho, o que me despertou certa decepção.

Capa, Diagramação e Escrita: A capa é divertida, os tons foscos com sombreamento em negativo chamam atenção. A diagramação é polida e confortável. O livro é uma coletânea de vários autores, e a escrita, apesar de compreensível, pode se tornar vagarosa em alguns pontos.
Concluindo: Estou com sentimentos neutros em relação a esse livro; foi divertido, mas também maçante. Tem seus méritos, mas parece não querer desenvolver a trama. É bem escrito, porém tem muitas vertentes de narração, ou seja, foi uma leitura ok.