Resenha - O Ódio Que Você Semeia

Título: O Ódio Que Você Semeia
Título Original: The Hate U Give
Livro Único.
Autor: Angie Thomas
Editora: Galera Record
Páginas: 378
Ano: 2017
Saiba Mais: Skoob / Goodreads
Comprar: Amazon 

Sinopse: Uma história juvenil repleta de choques de realidade. Um livro necessário em tempos tão cruéis e extremos.
Starr aprendeu com os pais, ainda muito nova, como uma pessoa negra deve se comportar na frente de um policial.
Não faça movimentos bruscos.
Deixe sempre as mãos à mostra.
Só fale quando te perguntarem algo.
Seja obediente.
Quando ela e seu amigo, Khalil, são parados por uma viatura, tudo o que Starr espera é que Khalil também conheça essas regras. Um movimento errado, uma suposição e os tiros disparam. De repente o amigo de infância da garota está no chão, coberto de sangue. Morto.
Em luto, indignada com a injustiça tão explícita que presenciou e vivendo em duas realidades tão distintas (durante o dia, estuda numa escola cara, com colegas brancos e muito ricos - no fim da aula, volta para seu bairro, periférico e negro, um gueto dominado pelas gangues e oprimido pela polícia), Starr precisa descobrir a sua voz. Precisa decidir o que fazer com o triste poder que recebeu ao ser a única testemunha de um crime que pode ter um desfecho tão injusto como seu início.
Acima de tudo Starr precisa fazer a coisa certa.
Angie Thomas, numa narrativa muito dinâmica, divertida, mas ainda assim, direta e firme, fala de racismo de uma forma nova para jovens leitores. Este é um livro que não se pode ignorar.

A TramaO Ódio Que Você Semeia é um livro feito para denunciar a violência policial contra pessoas negras nos Estados Unidos, mas a voz de Starr deve ser ouvida pelo mundo todo. Depois de ver o amigo ser morto na sua frente por um policial, Starr passa a perceber o quanto é necessário falar e se revoltar contra isso, já que na maioria das vezes o policial - normalmente branco - sai impune. Vivendo em uma comunidade comandada por gangues, mas tentando ter uma vida normal, Starr e os irmãos estudam em uma escola particular de "gente branca", onde ela se vê dividida entre duas pessoas: a Starr de Garden Heights (onde mora) e a Starr da Williamson (sua escola). E é quando ela precisa usar sua voz para trazer justiça para Khalil, que Starr começa a perceber que precisará colidir seus dois mundos de alguma forma. Eu não consigo expressar o quanto esse livro é necessário, poderoso e empoderador. É daqueles livros que eu gostaria que todo mundo lesse, tanto para se sentir representado e encontrar sua voz, quanto para perceber o nível de desigualdade e racismo do mundo em que vivemos.

Terça do Top #124

5 leituras para se distrair na quarentena

Oi, gente! Espero que todos que têm a oportunidade de ficar em quarentena em casa realmente esteja EM CASA! Nesse momento precisamos levar todas as medidas de prevenção à sério, o isolamento social é necessário. Se você ainda precisa trabalhar fora, há várias matérias mostrando como se prevenir e como agir quando chegar em casa. Se cuidem!

Para quem tem o privilégio da quarentena, separei aqui 5 livros para recomendar a vocês, para se divertir e tirar a cabeça um pouco dessa crise mundial pela qual estamos passando. Bora pra lista!

Vermelho, Branco e Sangue Azul - Casey McQuiston

Nada melhor para distrair a mente do que acompanhar o filho da presidente dos Estados Unidos e o príncipe da Inglaterra se apaixonarem e causarem muito com a política dos dois países. Vermelho, Branco e Sangue Azul tem personagens muito bem construídos, um romance um pouco apressado e clichê, mas que consegue conquistar o leitor e personagens secundários que você deseja que tenha um livro separado para cada um. 



Resenha - As Sombras de Outubro

Título: As Sombras de Outubro
Título Original: Kastanjemanden
Livro Único.
Autor: Søren Sveistrup
Editora: Suma de Letras
Ano: 2019
Páginas: 415
Saiba mais: Skoob / Goodreads
Comprar: Amazon

Sinopse: É outubro e a neve de outono começa a cair em Copenhagen, deixando os dias mais curtos e as noites mais sombrias... e pelas ruas geladas e escuras, um psicopata aterroriza a cidade. Em uma manhã tempestuosa em um tranquilo bairro de Copenhagen, a polícia faz uma descoberta sinistra: o corpo de uma mulher brutalmente assassinada, com uma das mãos faltando. Sobre ela está pendurado um pequeno boneco feito de castanhas. O caso é entregue à ambiciosa detetive Naia Thulin e a seu novo parceiro, Mark Hess, um investigador introspectivo que acabou de ser expulso da Europol. Logo se descobre uma evidência ligando o sr. Castanha a uma garota desaparecida há um ano: a filha da política Rosa Hartung. O homem que confessou tê-la sequestrado e assassinado está atrás das grades e o caso foi encerrado há tempos ― e qualquer insinuação contrária causa disputas e inimizades na corporação. No entanto, quando novas vítimas e novos bonecos aparecem, Thulin e Hess acham cada vez mais difícil ignorar a conexão entre o caso Hartung e o novo serial killer. Mas que conexão seria essa? E como impedir o assassino de continuar sua caçada, se ele parece sempre um passo à frente da polícia? As Sombras de Outubro traz o melhor do estilo thriller noir, acrescentando ao suspense clássico uma boa dose de energia. Sveistrup retrata seus personagens com sensibilidade e mostra como romances policiais podem fazer críticas contundentes às realidades sociais.

Trama: Em outubro, na cidade de Copenhagen, a divisão de crimes hediondos está muito ocupada com o corpo de uma mulher brutalmente assassinada no quintal de sua própria casa. A detetive Naia Thulin assume a direção do caso, levando a tiracolo o investigador recém afastado da Europol, Mark Hess. Além das características sádicas envolvidas no caso, eles ainda precisam lidar com um bonequinho feito de castanha encontrado na cena do crime. Ele contém a impressão digital de Kristine Hartung, filha da Ministra do Bem-estar Social, desaparecida e dada como morta, caso esse em que o culpado já se encontra na cadeia. Antes da polícia começar a entender todos os acontecimentos, outros crimes com as mesmas características começam a acontecer, forçando Naia e Mark a correr contra o tempo. Desde minha leitura de “Os homens que Não Amavam as Mulheres” a alguns anos atrás, eu desenvolvi uma curiosidade viciante em livros de autores dinamarqueses com temática policial, como "A Garota Corvo"de 2017. Depois de ler a sinopse de “As Sombras de Outubro”, imediatamente me recordei de Stieg Larsson e Erik Axl Sund e ansiei por esta leitura. Diferente das obras desses dois, “Sombras de Outubro” aborda o crime pelo ponto de vista da polícia, o que me foi particularmente agradável, já que a linha narrativa nos permite participar da investigação (que é minha parte preferida em qualquer livro de mistério).