Terça do Top #127 - 10 Livros de Autores Negros


Top 10 Livros de Autores Negros


Graças a Deus o que não faltou ultimamente na mídia foi a repercussão dos direitos dos negros, e no mundo literário não foi diferente, vimos muitas indicações de livros que  abordam a marginalização dos negros, assim como livros escritos por eles. Aqui vão nossas indicações:



1. Chimamanda Ngori Adichie


Protagonista e narradora de Hibisco roxo, a adolescente Kambili mostra como a religiosidade extremamente “branca” e católica de seu pai, Eugene, famoso industrial nigeriano, inferniza e destrói lentamente a vida de toda a família. O pavor de Eugene às tradições primitivas do povo nigeriano é tamanho que ele chega a rejeitar o pai, contador de histórias encantador, e a irmã, professora universitária esclarecida, temendo o inferno. Mas, apesar de sua clara violência e opressão, Eugene é benfeitor dos pobres e, estranhamente, apoia o jornal mais progressista do país. Durante uma temporada na casa de sua tia, Kambili acaba se apaixonando por um padre que é obrigado a deixar a Nigéria, por falta de segurança e de perspectiva de futuro. Enquanto narra as aventuras e desventuras de Kambili e de sua família, o romance também apresenta um retrato contundente e original da Nigéria atual, mostrando os remanescentes invasivos da colonização tanto no próprio país, como, certamente, também no resto do continente. “Uma história sensível e delicada sobre uma jovem exposta à intolerância religiosa e ao lado obscuro da sociedade nigeriana. 

Lagos, anos 1990. Enquanto Ifemelu e Obinze vivem o idílio do primeiro amor, a Nigéria enfrenta tempos sombrios sob um governo militar. Em busca de alternativas às universidades nacionais, paralisadas por sucessivas greves, a jovem Ifemelu muda-se para os Estados Unidos. Ao mesmo tempo que se destaca no meio acadêmico, ela depara pela primeira vez com a questão racial e com as agruras da vida de imigrante, mulher e negra. Quinze anos mais tarde, Ifemelu é uma blogueira aclamada nos Estados Unidos, mas o tempo e o sucesso não atenuaram o apego à sua terra natal, tampouco anularam sua ligação com Obinze. Quando ela volta para a Nigéria, terá de encontrar seu lugar num país muito diferente do que deixou e na vida de seu companheiro de adolescência. Principal autora nigeriana de sua geração e uma das mais destacadas da cena literária internacional, Chimamanda Ngozi Adichie parte de uma história de amor para debater questões prementes e universais como imigração, preconceito racial e desigualdade de gênero. Bem-humorado, sagaz e implacável, Americanah é, além de seu romance mais arrebatador, um épico contemporâneo.


 Chimamanda Ngozi Adichie nasceu em Enugu, na Nigéria, em 1977. Ela é a quarta de seis filhos de uma família Igbo. Criada na cidade universitária de Nsukka, onde seu pai James Nwoye Adichie era professor de estatística -  e sua mãe, Graça Ifeoma, foi a primeira administradora do sexo feminino.  Com 19 anos, Adichie deixou a Nigéria e se mudou para os Estados Unidos para estudar comunicação e ciências políticas na Universidade de Drexel, na Filadélfia. Ela recebeu um diploma de bacharel de Leste, onde se formou summa cum laude em 2001. Em 2003, Chimamanda completou seu mestrado em escrita criativa na Universidade Johns Hopkins. Em 2008, recebeu a titulação de Mestre de Artes em Estudos Africanos pela Universidade de Yale. Adichie foi bolsista de Hodder na Universidade de Princeton, durante o ano acadêmico de 2005-06 . Em 2008, ela foi premiada com uma MacArthur Fellowship. Ela também foi premiada com uma bolsa em 2011-12 pelo Instituto Radcliffe de Estudos Avançados da Universidade de Harvard. Adichie divide seu tempo entre a Nigéria, onde ensina em oficinas de escrita, e os Estados Unidos. Ela foi a primeira mulher a ser Chefe da Administração da Universidade da Nigéria. Em 2016, foi conferido à ela uma certificação com honras, como Doutora em Humanidades, pela Universidade de Johns Hopkins. Em 2017, ela recebeu o mesmo tipo de certificação das Universidades de Haverford College e de Edimburgo. Sua obra foi traduzida para mais de trinta línguas e apareceu em inúmeras publicações, entre eles a New Yorker e a Granta. Recebeu diversos prêmios, entre eles o Orange Prize. Vive entre a Nigéria e os Estados Unidos. 


Resenha - O guia do Cavaleiro para o vício e a Virtude

Título: O Guia do Cavalheiro para o Vício e a Virtude
Título Original: A gentleman's guide to vice and virtude
Série:The Montague Siblings
1- O guia do cavalheiro para o vício e a virtude
1.5 - The genteman's guide to getting lucky (2019 US)
2- The Lady's guide to petticoats and piracy (2018 US)
3- The Nobleman's guide to scandal and shipwrecks (2021 US)
Autora: Mckennzi Lee
Editora: Galera Record
Páginas: 434
Saiba mais: Skoob
Comprar: Amazon

Infelizmente, é chato.

Sinopse: Uma aventura romântica do século XVIII para a era moderna. Simon Versus a Agenda Homo Sapiens, encontra os anos 1700. Henry "Monty" Montague nasceu e foi criado para ser um cavalheiro, mas nunca foi domado. Os melhores internatos da Inglaterra e a constante desaprovação do pai não conseguiram conter nenhuma das suas paixões - jogos de azar, álcool e dividir a cama com mulheres e homens. Mas agora sua busca constante por uma vida cheia de prazeres e vícios está em risco. O pai quer que ele tome conta dos negócios da família. Mas antes Monty vai partir em seu Grand Tour pela Europa, com a irmã mais nova, Felicity, e o melhor amigo, Percy - por quem ele mantém uma paixão inconsequente e impossível. Monty decide fazer desta última escapada uma festa hedonista e flertar com Percy de Paris a Roma. Mas quando uma de suas decisões imprudentes transforma a viagem em uma angustiante caçada através da Europa, isso faz com que ele questione tudo o que conhece, incluindo sua relação com o garoto que ele adora.

Trama: Henry Montague irá passar seu último ano de "liberdade", antes de assumir o  título e a propriedade da família, em um tour pela Europa com seu melhor amigo Percy. Decidido a afogar a opressão paterna, as expectativas da sociedade e seu amor platônico, em muita bebedeira e luxúria, ele fica frustrado ao descobrir que seu pai contratou um tutor para fazer do tour uma viagem cultural calma, focada na disciplina e com o intuito de alimentar novas conexões para a família Montague. Irritado com toda a situação Monty rouba um item do Palácio de Versalles, e é a partir daí que ele e sua comitiva são perseguidos por toda a Europa. A trama e os assuntos abordados são interessantes, mas a sua execução pode ser considerada... incompleta, talvez?

Resenha - Daqui a Cinco Anos

Título: Daqui a Cinco Anos
Título Original: In Five Years
Livro Único.
Autor: Rebecca Serle
Editora: Paralela
Páginas: 291
Ano: 2020
Saiba Mais: Skoob / Goodreads
Comprar: Amazon 

Sinopse: Uma história de amor — mas não como você imagina.
Onde você se vê daqui a cinco anos? Dannie Kohan sabe exatamente o futuro que deseja e o que deve fazer para conquistá-lo. Depois de arrasar na entrevista para seu emprego dos sonhos em um dos maiores escritórios de advocacia de Nova York e de ser pedida em casamento pelo namorado, ela vai dormir com a certeza de que está no caminho certo para realizar todos os seus planos.
Quando acorda, entretanto, ela está em um apartamento diferente, com outro anel de noivado no dedo e um homem que nunca viu antes ao seu lado. A televisão mostra que é a mesma noite — 15 de dezembro —, mas cinco anos no futuro.
Depois de uma hora intensa e chocante nesse cenário, Dannie acorda de novo, de volta ao presente, como se nada tivesse acontecido. Profundamente abalada e sem entender o que houve, ela decide acreditar que foi apenas um sonho, por mais realista que tenha sido. E parece funcionar. Isto é, até quatro anos e meio depois, quando Dannie encontra o homem que viu naquela noite inusitada.
Ao mesmo tempo divertida e emocionante, Daqui a cinco anos é uma história sobre lealdade, amor, amizade e a natureza imprevisível do futuro.

A TramaNessa história conhecemos Dannie, uma mulher que tem basicamente toda a vida planejada. Ela sabe com quanto tempo de namoro duas pessoas podem ir morar juntas, qual a idade para ser pedida em casamento e qual a idade para se casar. Ela inclusive sabe que naquela noite, depois de uma importante entrevista de emprego, seu namorado de mais de dois anos, David, vai pedi-la em casamento, e quando ele o faz, ela sente que está tudo se encaixando. Até que, já em casa, Dannie apaga por um momento e acorda em um lugar completamente diferente. É a mesma noite de 15 de dezembro, mas cinco anos no futuro - e tem um homem que não é David nesse novo apartamento. Quando acorda novamente na sua vida real, ela só consegue pensar que foi tudo um sonho, embora parecesse bem real. Quatro ano e meio depois, ela e David ainda não se casaram, pois sempre surgia algo mais importante no caminho. Até que um dia, a melhor amiga de Dannie, Bella, resolve apresentá-la seu novo namorado. Para surpresa - e desespero - de Dannie, ele é o estranho do seu sonho de tantos anos antes. Esse livro me pegou de surpresa, porque eu estava esperando algo do tipo chick-lit focado no romance, e ele não é bem isso. Na verdade, o romance é deixado em segundo plano, e ele nem existe de verdade. O livro é focado na amizade entre Dannie e Bella, e eu achei bem legal a autora querer contar uma história sobre esse tipo de amor. Alguns problemas surgem no meio do caminho, obviamente, para deixar a história mais emocionante, mas mesmo assim algumas coisas não conseguiram me agradar completamente durante a leitura.