Resenha - Depois do Sim

 

Exibição Original: Depois do Sim
Título Original: After I Do
Adaptação: Taylor Jenkins Reid
Estúdio: Paralela
Demografia | Gênero: 320
Ano: 2020
Saiba mais: Skoob
Comprar: Amazon // Submarino // Saraiva 


Sinopse: 
Após onze anos de casamento, Lauren e Ryan chegam à triste conclusão de que não estão felizes juntos. Esse poderia ser o fim, mas para os dois é só o começo. Eles vão passar por um ano diferente de tudo aquilo que já viveram, no qual aprenderão muito mais sobre si mesmos do que seriam capazes de imaginar. "Depois do sim" é uma história sobre o que acontece quando a paixão parece não estar mais lá. Sobre as várias facetas do amor. Sobre aprender a mantê-lo, perdê-lo, redescobri-lo e aceitá-lo como ele é. Acima de tudo, é a história de um casal preso nas armadilhas de seus hábitos e manias, mas disposto a buscar um novo e inusitado caminho para fazer dar certo.

TramaLauren e Ryan tiveram um longo casamento apenas para descobrir que, onze anos depois, não estão felizes e acabam arranjando brigas pelas coisas mais simples, sem conseguir mais ver as coisas lindas da vida. O livro é narrado com capítulos alternados entre a atual situação do casal e de como eles se conheceram e o desenvolvimento de sua história ao longo dos anos. Uma história que fala sobre autoconhecimento, respeitar o seu tempo e suas opiniões, principalmente dentro de um contexto que envolva outras pessoas e seus sentimentos. Acima de tudo, é um livro sobre a importância do diálogo nas relações humanas.

Os Personagens: Eu já disse diversas vezes aqui e sigo dizendo: Taylor Jenkins Reid continua sendo uma das minhas autoras favoritas na hora da construção de personagens. Depois do Sim não deixa a desejar nesse sentido, já que acompanhamos Lauren em primeira pessoa e temos acesso a todos os seus pensamentos e dores. A autora fala de problemas, decisões e angústias reais, mas que são tratados com bastante sensibilidade - o que traz verossimilidade para a narrativa. Lauren é uma personagem extremamente humana, com erros e pensamentos que se parecem muito com o que qualquer um de nós poderia pensar ao passar por um momento como o dela.
Personagens secundários também merecem uma menção honrosa aqui por ajudarem a representar diferentes formas de reação e opinião em relação ao relacionamento de Lauren. Essa vasta gama de personagens traz tridimensionalidade para a narrativa, que insiste em não mostrar uma solução simples para problemas reais.

Capa, Diagramação e Escrita: A autora, mais uma vez, traz uma leitura muito rápida. Apesar de tratar de temas importantes em capítulos intercalados entre o passado e o presente, a agilidade da narrativa é muito importante para prender o leitor. Além disso, um pouco mais no estilo de seu outro livro, Daisy Jones & The Six, também temos um livro preenchido bom bastante diálogo, o que faz com que a leitura flua à medida que aumenta sua curiosidade e empatia em relação aos personagens.
Eu achei a capa em si relativamente simples. Sim, ela passa a ideia da narrativa em si e sim, ela é mais trabalhada do que a internacional, mas mesmo assim, sigo achando que os livros da Taylor merecem um pouco mais de atenção e talvez um projeto que se destaque mais para apresentar mais leitores à essa escrita maravilhosa.

Concluindo: Mais uma vez, eu repito: eu amo Taylor Jenkins Reid. Autora de Os Sete Maridos de Evelyn Hugo, e Daisy Jones & The Six, eu sinto que posso ler qualquer coisa que ela publique e nunca me decepcionar. Apesar das narrativas dela nunca incluirem muitos eventos marcantes, a construção humana de personagem dela sempre são feitas com muita maestria e representam muito bem pessoas que poderiam facilmente sair das páginas dos livros e sair andando por aí. Um tema um pouco mais delicado - principalmente para mim -, o livro não desaponta e prende o leitor do começo ao fim.