Resenha - Imperfeitos


Título: Imperfeitos
Título Original: Crushed
Série: Recomeços
0.5 - Como Num Filme (2018)
1 - Em pedaços (2018)
2 - Imperfeitos (2019)
Autora: Lauren Layne
Editora: Paralela
Páginas: 280
Ano: 2019
Saiba mais: Skoob
Comprar: Amazon // Americanas // Submarino

Por favor, tenham em mente que absolutamente todas as resenhas que li sobre esse livro foram muito positivas. Dito isso...

Sinopse: Será que Michael conseguirá encontrar um final feliz depois de ser rejeitado por Olivia? Uma comédia romântica surpreendente sobre como recomeços podem ser a cura para um coração partido.
Quantas vezes um mesmo coração aguenta ser despedaçado? Essa é a pergunta que atormenta Michael St. Claire, o ex-bon vivant que, após ser rejeitado por Olivia e abandonado pelo melhor amigo, deixa o glamour nova-iorquino para trás e vai trabalhar num clube de tênis numa cidadezinha no Texas. Há um motivo secreto por trás dessa escolha geográfica: é lá que se encontram seu pai biológico e seu meio-irmão, Devon, que não fazem ideia de sua existência. O que o plano de Michael não previa era conhecer Chloe, a garota mais inteligente, sarcástica e original que ele já vira. Em pouco tempo, eles se tornam grandes amigos, e quando Michael descobre que Chloe é apaixonada por Devon ele resolve que irá ajudá-la. Mas será que dois corações rejeitados conseguem, juntos, construir um recomeço? Ou irão apenas se machucar, perdidos na eterna busca por aceitação e pertencimento?

A Trama: A trama segue mais ou menos o mesmo clichê de amor e ódio que os outros livros da série. Porém, teve um detalhe - logo no início, na página 24 - que me incomodou muito. E, infelizmente (eu acho), esse detalhe estragou toda a leitura pra mim.
Chloe se descreve (e é descrita) como uma garota gordinha, o que achei bem legal - no início -, porque normalmente as protagonistas de new adult são o perfeito estereótipo da beleza.
Quando ela conhece Michael, ele descobre que ela é apaixonada pelo namorado da própria irmã. Então ele, que acabou de passar por uma situação bastante semelhante com seus dois melhores amigos - situação, essa, que terminou de maneira terrível -, resolve ajudar a garota a conquistar o cunhado. Foi aqui que o livro começou a me incomodar um pouco, mas ainda estava disposta a deixar pra lá. 
Chloe, então, diz para Michael que Devon jamais irá se interessar por ela - já que ele namora a garota com o corpo perfeito, e ela está acima do peso. 
Michael, de forma bastante surpreendente, explica para ela que o problema não é o peso, e sim o fato de que ela não está no controle de sua vida. Então, mais uma vez se mostrando um exemplo de altruísmo (alerta de ironia), ele se compromete a ajuda-la a mudar essa situação. E aí, para mim, a história desandou de vez.
Uma pausa. Vamos lembrar, aqui, que o problema dela não é o peso, ok? Ele fala isso com absolutamente todas as letras. 
"Note que eu não disse 'magra', mas 'em forma'. Saudável. Não estou falando de balança, mas disto aqui. De assumir o controle da sua vida". 
Ele leva o indicador à minha têmpora brevemente antes de deixar o braço cair. 
Voltando. Então, como Michael ajudará Chloe a ter o controle de sua vida? Ele lhe dá o "horário nobre de um personal trainer". Isso mesmo, ele será o seu personal trainer. Porque, segundo ele, para assumir o controle de sua vida, ela precisa fazer exercícios todos os dias, mudar sua alimentação e, consequentemente, emagrecer! 
A partir desse momento, não importava mais o que eu lesse, a palavra gordofóbico piscava em neon diante dos meus olhos e a leitura se tornou um tormento.

Resenha - A Metade Sombria

Título: A Metade Sombria
Título Original: The Dark Half
Livro Único. 
Autor: Stephen King
Editora: Suma de Letras
Páginas: 464
Ano: Edição: 2019 | Original: 1989
Saiba Mais: Skoob / Goodreads
Comprar: Amazon 

Sinopse: Após anos esgotado no Brasil, A metade sombria volta às livrarias como parte da Biblioteca Stephen King, coleção de clássicos do mestre do terror em edição especial com capa dura e conteúdo extra. Compre na pré-venda e ganhe um kit de marcadores exclusivos da Coleção Biblioteca Stephen King. Criar George Stark foi fácil. Se livrar dele, nem tanto. Há anos, Thad Beaumont vem escrevendo, sob o pseudônimo George Stark, thrillers violentos que pagam as contas da família, mas não são considerados “livros sérios” pelo escritor. Quando um jornalista ameaça expor o segredo, Thad decide abrir o jogo primeiro, e dá um fim público ao pseudônimo. Beaumont volta a escrever sob o próprio nome, e seu alter ego ameaçador está definitivamente enterrado. Tudo vai bem. Até que uma série de assassinatos tem início, e todas as pistas apontam para Thad. Ele gostaria de poder dizer que é inocente, que não participou dos atos monstruosos acontecendo ao seu redor. Mas a verdade é que George Stark não ficou feliz de ser dispensado tão facilmente, e está de volta para perseguir os responsáveis por sua morte.

A TramaEsse livro é uma mistura maluca de Misery e Outsider (ambos do King), mas tem sua marca própria também ao longo da história. A ideia para ele surgiu quando o autor teve que "matar" seu pseudônimo, Richard Bachman, com que ele escrevia alguns livros mais pesados do que os publicados pelo seu próprio nome. Partindo desse princípio, ele criou a história de Thad Beaumont, que teve de se livrar do seu pseudônimo, George Stark, quando foi descoberto e decidiu levar tudo à público. O problema é que George Stark não quer estar morto, e arruma um jeito de voltar a vida e se vingar de todos que causaram sua morte. O livro em sua maior parte transcorre de uma forma até lenta, mas todas as informações dadas pelo autor são interessantes para a história, mesmo com suas super descrições de todas as coisas. Os detalhes fazem parte do estilo de narrativa de Stephen King, e é uma das coisas que mais gosto nele. A história, num geral, me agradou e me manteve curiosa até o final, mas alguns momentos no meio não foram tão interessantes assim. Por outro lado, acho que agora é uma das histórias que mais gosto do King.

Resenha - Livre para Recomeçar


Título: Livre para Recomeçar
Autora: Paola Aleksandra
Editora: Paralela
Páginas: 400
Ano: 2019
Saiba mais: Skoob
Comprar: Amazon // Submarino

Uma linda história sobre amor-próprio. 

Sinopse: Anastácia carrega na pele as marcas deixadas por um casamento odioso. Em sua última noite como uma mulher livre, ela perdeu o controle do seu futuro e acabou presa no famoso hospício para alienados do Rio de Janeiro. Mas agora, três anos após sua internação, Anastácia precisará enfrentar o passado e descobrir como recomeçar. Quem ela escolherá ser longe do peso do título de Condessa De Vienne?
Graças ao Jornal das Senhoras, Benício de Sá é conhecido como o Bastardo do Café. Lutando diariamente contra a opressão do pai – um dos mais poderosos cafeicultores do Brasil – ele encontrou na construção cívil a oportunidade perfeita de mudar seu futuro e deixar uma marca no mundo. Contudo, enquanto a Empreiteira de Sá conquista o cenário carioca, Benício continua preso ao passado e às marcas que carrega na alma. Será que um dia ele conseguirá libertar-se por inteiro das garras do seu pai?
Anastácia e Benício se conhecem em meio à ruína, mas é durante a esperança de um novo começo que eles se reencontram. Agora resta saber se estão prontos para recomeçar.

A Trama: Livre para Recomeçar vai muito além dos romances de época que estamos acostumados a encontrar. Claro, temos um romance muito fofo entre os protagonistas, mas também nos deparamos com histórias paralelas igualmente incríveis - além de contar com uma crítica social bastante sutil mas absolutamente atual.

Resenha - O Jogo


Título: O Jogo - Amores Improváveis
Título Original: The Score
Série: Off-Campus
1- O Acordo (2016)
2- O Erro (2016)
3- O Jogo (2017)
4- A Conquista (2017)
Autora: Elle Kennedy
Editora: Paralela
Páginas: 344
Ano: 2017
Saiba mais: Skoob
Comprar: Amazon // Submarino

Eu não achava que isso fosse possível, mas consegui me apaixonar mais ainda por essa série - e, confesso, tenho um livro (e casal) favorito. 
Atenção! Essa resenha contém spoilers dos livros anteriores. 

Sinopse: Talentoso, inteligente e festeiro, Dean Di Laurentis sempre consegue o que quer. Sexo, notas altas, sexo, reconhecimento, sexo… É sem dúvida um galanteador de primeira, e ainda está para encontrar uma mulher imune ao seu charme descontraído e seu jeito alegre de encarar a vida. Isto é, até ele se envolver com Allie Hayes. Em uma única noite, essa jovem atriz cheia de personalidade virou o mundo de Dean de cabeça para baixo. E agora ela quer que eles sejam apenas amigos? Dean adora um desafio, e não vai medir esforços para convencer essa mulher tão linda quanto teimosa de que uma vez não é suficiente. Mas o que começa como um simples jogo de sedução logo se torna a experiência mais incrível e surpreendente de sua vida. Afinal, quem disse que sexo, amizade e amor não podem andar de mãos dadas?

A Trama: Eu disse isso na resenha de O Acordo, disse na resenha de O Erro e repito novamente aqui: o que não falta, nessa história, são clichês. Mas, ao mesmo tempo, se uma fórmula é utilizada tantas vezes e por tantas pessoas, o fato de que ela funciona é inquestionável, certo? E como essa fórmula funcionou aqui!
A trama segue o mesmo padrão dos livros anteriores - só que melhor, muito melhor, infinitamente melhor... E alguém me segura ou eu não paro nunca mais. 
Agora, enquanto escrevo essa resenha, faz quase um mês que finalizei a leitura - e esperei todo esse tempo para ver se minha empolgação diminuía... Já adianto que não funcionou. Dean e Allie ainda tem o meu coração por inteiro