Resenha - Vilão

Título: Vilão
Título Original: Vicious
Série: Vilão
1 - Vilão
2 - Vengeful
3 - Sem título
Autor: V.E. Schwab
Editora: Record
Páginas: 364
Ano: Edição: 2019 | Original: 2013
Saiba Mais: Skoob / Goodreads
Comprar: Amazon 

Sinopse: Uma história sobre ambição, inveja, desejo e superpoderes, da autora da série Tons de Magia.
Victor e Eli, dois jovens brilhantes, arrogantes e solitários, se conheceram na Universidade de Merit e logo se deram bem, identificando um no outro a mesma sagacidade e a mesma ambição. No último ano da faculdade, o interesse em comum numa pesquisa sobre adrenalina, experiências de quase morte e poderes sobrenaturais lhes oferece uma possibilidade antes inimaginável: de que uma pessoa, sob as condições certas, seja capaz de desenvolver habilidades extraordinárias. No entanto, quando colocam em prática essa teoria, as coisas dão muito errado.
Dez anos depois, Victor foge da prisão, determinado a encontrar seu antigo amigo ― agora inimigo. Para localizá-lo, ele conta com a ajuda de uma garotinha, Sydney, cuja natureza reservada esconde uma habilidade sem igual, mas extremamente perigosa. Enquanto isso, há dez anos Eli tem uma única missão: erradicar todas as pessoas ExtraOrdinárias que encontra ― exceto sua ajudante, Serena, uma mulher enigmática e persuasiva, capaz de impor sua vontade a qualquer um.
Armado com poderes terríveis e movido pela lembrança da traição e da perda, Victor caça seu arqui-inimigo em busca de vingança e de um embate no qual sabe que um dos dois deve morrer.

A TramaVictor e Eli se conheceram na faculdade e se tornaram amigos inseparáveis. Para o trabalho de conclusão de curso, Eli decide pesquisar sobre pessoas ExtraOrdinárias, que possuem dons especiais. Mais do que isso, ele deseja testar suas teorias em si mesmo, e Victor decide acompanhar o amigo, já que também queria a oportunidade de fazer parte daquela descoberta. Anos depois, Victor acabou de fugir da prisão e está indo atrás de Eli procurando por vingança. O livro é contado sob os pontos de vistas dos dois protagonistas, alternando entre passado e presente, e essa foi uma forma muita inteligente de contar essa história. Eu não sei direito como explicar o quanto eu fiquei fascinada e imersa nessa história. A autora conseguiu construir personagens tridimensionais de uma forma impressionante, sem realmente transformar nenhum dos dois protagonistas em mocinhos ou vilões, Victor e Eli apenas queriam, cada um, defender e lutar por aquilo que acreditavam.

Lançamentos de Janeiro 2020

Oi, gente! Início de ano nunca tem tantos lançamentos assim, mas hoje reuni para vocês alguns dos que eu achei mais interessantes. Desses, eu fiquei interessada em Recursão, Os Segredos que Guardamos, O Colecionador de Desejos e A Última Palavra. E vocês?

Recursão - Blake Crouch - Intrínseca

E se um dia memórias vívidas de coisas que nunca aconteceram se infiltrassem em sua mente, pintando em tons de cinza todas as suas certezas? É dessa premissa que Blake Crouch parte em Recursão, uma obra tão impactante que teve os direitos de adaptação audiovisual adquiridos pela Netflix, que produzirá um filme e uma série baseados no livro, ambos a cargo de Shonda Rhimes.
Barry Sutton é policial em Nova York e convive com a tristeza da morte da filha. Ao ser acionado para intervir em uma tentativa de suicídio, ele se depara com uma mulher que sofre da Síndrome da Falsa Memória, uma doença misteriosa que planta na cabeça de suas vítimas lembranças de vidas que elas nunca tiveram.
A neurocientista Helena Smith está desenvolvendo uma tecnologia para a cura do Alzheimer. Inesperadamente, um dos homens mais ricos do mundo se oferece para financiar sua pesquisa. Helena vê surgir a chance de propiciar um grande bem para a humanidade. No entanto, não poderia estar mais enganada...
A tecnologia que deveria salvar vidas acelera a marcha galopante do caos, gerando uma guerra pelo poder e criando recursos que começam a esfacelar a realidade. O tempo não é mais como o conhecemos, e Barry e Helena terão de se unir se quiserem sobreviver — e salvar a todos nós.
Um dos nomes mais importantes da ficção científica contemporânea, Blake Crouch constrói uma jornada desnorteante, com personagens complexos, que nos fazem refletir sobre nossa identidade. Uma trama intrincada, ágil e emocionante, que mostra que, quando nada é mais importante do que a memória, perdê-la significa perder a si mesmo.

Os Segredos que Guardamos - Lara Prescott - Intrínseca

Inspirado em uma missão real da CIA durante a Guerra Fria, Os segredos que guardamos mostra, de maneira romanceada, como a Agência de Inteligência americana apostou em Doutor Jivago, uma das obras-primas do século XX, para mostrar aos soviéticos o poder de mudança da literatura.
O plano era simples: imprimir no exterior Doutor Jivago em russo e contrabandear exemplares da obra que teve sua publicação proibida na União Soviética por ir contra a ideologia do Estado. Para tanto, a experiente e glamorosa espiã americana Sally Forrester deve treinar a novata Irina, uma simples datilógrafa da Agência, a fim de infiltrar o texto no país natal de seu autor, Boris Pasternak, vencedor do Prêmio Nobel com esta obra, porém obrigado por seu governo a rejeitá-lo.
Apesar de todo o potencial revolucionário, Doutor Jivago é também uma brilhante história de amor. A inspiração por trás de Lara, a icônica heroína da trama, é Olga Ivinskaia, musa de Pasternak. Os dois mantiveram um caso por décadas, uma relação intensa que sobreviveu à passagem do tempo, às ameaças de um regime autoritário e até aos anos de Olga em um gulag.
Assim, mulheres de ambos os lados da Cortina de Ferro protagonizam essa obra que mostra que, embora a história seja escrita pelos vencedores, é nos bastidores que o destino do mundo é forjado. Amantes, espiãs, datilógrafas. Fortes e corajosas, essas personagens ganham vida nessas páginas e são exemplos de que determinados segredos não devem ser guardados.


Mestre em traçar universos distópicos permeados por reflexões sobre família, morte e a natureza humana diante da crise, Robert Kirkman, criador de The Walking Dead, reúne em Oblivion Song vários dos elementos que o consagraram. No segundo volume da série de quadrinhos que conquistou fãs e críticos, voltamos a acompanhar a saga do cientista Nathan Cole para reparar os erros do passado e começamos a entender o mistério que cerca o surgimento da nova dimensão aterrorizante com raros momentos de calmaria.
Anos atrás, 300 mil habitantes da Filadélfia foram repentinamente transportados para Oblivion. O governo investiu muitos recursos em incursões para resgatar as vítimas, mas as buscas foram encerradas. No entanto, algo motivou Nathan Cole a não desistir de procurar por sobreviventes. Quando revelações impensáveis sobre seu passado vêm à tona, ele passa a ter suas ações questionadas pelo governo. Há perguntas sobre Oblivion que só Nathan pode responder, e agora o futuro dos dois mundos está em suas mãos.
Com a arte vibrante de Lorenzo De Felici, Oblivion Song: Entre dois mundos reúne os fascículos 7 a 12 da série e entrelaça ação, suspense e ficção científica numa história sobre as renúncias e as escolhas necessárias para seguirmos em frente.

Resenha - Ascensão

Título: Ascensão
Título Original: Elevation
Livro Único.
Autor: Stephen King
Editora: Suma de Letras
Páginas: 124
Ano: 2019
Saiba Mais: Skoob / Goodreads
Comprar: Amazon 

Sinopse: Uma história fascinante, curiosa e comovente sobre um homem cujo misterioso problema ajuda os habitantes de Castle Rock a superar as diferenças e se tornar uma comunidade.
Scott Carey tem muito em que pensar ― o projeto enorme que pegou no trabalho; o casal lésbico que mora na casa ao lado e o cachorro delas, que insiste em fazer as necessidades no seu quintal; e a súbita e inexplicável perda de peso das últimas semanas.
Apesar de não querer ser estudado e examinado, Scott decide compartilhar a questão com seu velho amigo, o dr. Bob Ellis. Afinal, apesar dos números decrescentes na balança, sua aparência continua a mesma ― além disso, seu peso não varia quando está nu ou usando roupas pesadas, quando está de mãos vazias ou carrega algo no colo.
Não importa o que ele faça ou coma, Scott está cada vez mais leve ― embora não mais magro ―, e conforme seu peso se aproxima de zero, ele sabe que logo nada vai prendê-lo ao chão.
Scott não quer se preocupar com o que vem pela frente; ele ainda tem tempo para resolver todas as suas questões antes do Dia Zero, e por que não começar pelas mais difíceis? Por exemplo, encarando o preconceito que suas vizinhas têm sofrido da comunidade ― e dele ― e fazendo o possível para ajudar.
Amizades improváveis, a maratona anual da cidade e a misteriosa condição de Scott são a fórmula para grandes transformações. Incrivelmente alegre e profundamente triste, Ascensão é um verdadeiro antídoto para nossa cultura intolerante.

A TramaNessa novela, o protagonista Scott Carey descobre que está perdendo peso todos os dias, mas isso não faz com que seu corpo grandalhão mude nenhum pouco. Além disso, ele está tendo problemas com os cachorros das vizinhas, que parecem estar fazendo as necessidades no seu quintal. Enquanto perde cada dia mais peso e tenta entender as vizinhas - lésbicas e casadas -, Scott começa a se questionar o que acontecerá quando ele chegar ao peso zero. Ascensão é uma história bem despretensiosa do King, mas eu amei lê-la! Não acho que seja memorável, mas trás algumas questões importantes, que o autor pode ter até concluído de forma "simplista", porém combinando com o restante do tom da trama. Se tratando de uma novela, é uma leitura rápida, que dá pra fazer em uma sentada só.

Resenha - A Pequena Sereia e o Reino das Ilusões

Título: A Pequena Sereia e o Reino das Ilusões
Título Original: The Surface Breaks
Autor: Louise O'Neill
Editora: Darkside
Páginas: 224
Ano: 2019
Saiba mais: Skoob
Comprar: Amazon // Submarino // Saraiva 


Sinopse: 
Esqueça as histórias sobre sereias que você conhece. Esta é uma história diferente — e necessária. E tudo começa no fundo do mar. Com uma garota chamada Gaia, que sonha em ser livre de seu pai controlador, fugir de um casamento arranjado e descobrir o que realmente aconteceu à sua mãe desaparecida. Em seu aniversário de quinze anos, quando finalmente sobe à superfície para conhecer o mundo de cima, Gaia avista um rapaz em um naufrágio e se convence de que precisa conhecê-lo. Mas do que ela precisa abrir mão para transformar seu sonho em realidade? E será que vale a pena? A Pequena Sereia e o Reino das Ilusões chega para trazer um pouco mais de contos de fadas para a linha DarkLove, da DarkSide® Books. Mas não do jeito que você espera; aqui, a história original de Hans Christian Andersen — e também suas versões coloridas e afáveis em desenhos animados — é reimaginada através de lentes feministas e ambientada em um mundo aquático em que mulheres são silenciadas diariamente — um mundo que não difere tanto assim da sociedade em que vivemos. No reino de ilusões comandado pelo Rei dos Mares, as sereias não recebem educação, não têm direito de fala, devem se encaixar em um padrão de beleza impossível e sempre sorrir. É neste cenário que a autora irlandesa Louise O’Neill apresenta uma história sobre empoderamento e força feminina. Com narrativa e olhar afiados, a autora ainda desenvolve aspectos do conto original que passaram batido, como o relacionamento de Gaia com as irmãs e as camadas complexas da Bruxa do Mar. A Pequena Sereia e o Reino das Ilusões, que chega ao mundo acima da superfície da água com o padrão de qualidade que virou marca registrada da DarkSide® Books, mostra como, em um reino comandado pelo patriarcado, ter uma voz é arriscado. Mas também como querer usá-la é uma atitude extremamente poderosa e valiosa. Ainda mais em tempos tão sombrios.

A Trama Baseado no clássico da Pequena Sereia, a narrativa segue a vida de Gaia, princesa do mar que se apaixona por um humano e que está disposta a traçar um longo caminho tortuoso para conquistar seu grande amor. Um toque de atualidade traz bastante feminismo e críticas sociais para a narrativa clássica com várias referências ao machismo e sobre como a sociedade atual enxerga as mulheres.

Resenha - O Aprendiz de Assasino

Título: O Aprendiz de Assasino
Título Original: Assassin's Apprentice
Série: A Saga do Assassino # 1
1- A O aprendiz de Assasino
2- (1996 US)
3- (1997 US)
Autora: Robin Hobb
Editora: Suma de Letras
Ano: 2019
Páginas: 376
Saiba mais: Skoob\Goodreads
Comprar: Amazon


Sinopse: Com personagens cativantes, tramas políticas complexas e lutas cheias de magia e reviravoltas, O Aprendiz de Assassino é tudo o que um fã do gênero pode esperar de uma ótima fantasia épica. Fitz tem seis anos de idade quando seu avô o joga aos pés de um guarda real e anuncia que a partir de então o pai deve cuidar do bastardo que produziu ― e o pai de Fitz é ninguém menos que Chilvary Farseer, o príncipe herdeiro dos Seis Ducados. Excluído pela realeza, mas importante demais para ser abandonado, Fitz é criado à sombra da corte, protegido pelo mestre dos estábulos e crescendo em meio aos criados e plebeus da Cidade de Torre do Cervo. No entanto, um bastardo real é uma peça perigosa, e o rei Shrewd não demora a convocá-lo. Carregando no sangue a magia ancestral do Talento e uma habilidade ainda mais instintiva de se comunicar com os animais, Fitz passa a ser treinado para se tornar um assassino a serviço do rei. Quando saqueadores selvagens começam a atacar as regiões costeiras dos Seis Ducados, Fitz recebe sua primeira missão. Embora alguns o vejam como uma ameaça, o jovem bastardo vai provar que pode ser a chave para a sobrevivência do reino.

“Exatamente como um livro de fantasia deve ser. A obra de Hobb é um diamante em meio a falsos brilhantes.” ― George R.R. Martin


Trama: Aos seis anos, Fitz é entregue por seu avó materno aos cuidados de um entreposto do exército onde residia temporariamente seu tio, o segundo príncipe dos Seis Ducados. Ele é taxado de bastardo e levado para a Torre do Cervo - residência da realeza. Criado pelo homem de confiança de seu pai, Fitz cresce entre os empregados da Torre, depois de alguns anos, seu avô, o Rei, se recorda de sua existência e o apadrinha, contanto que ele lhe jure fidelidade. A partir daí, Fitz inicia seus estudos sobre os costumes da realeza durante o dia e como se tornar um exímio assassino durante a noite. Apostando em um realismo palpável, mesmo que ambientada em um mundo de fantasia, a trama preza por detalhes narrativos, não de forma descritiva como Stephen King costuma fazer, por exemplo, mas buscando esmiuçar as experiências dos personagens. Apesar de ter me causado estranheza, a apresentação minuciosa dos fatos enreda uma absorção notável durante a leitura.

Resenha - Wild Cards - O Começo

Título: O Wild Cards - O Começo                      Titulo Original:Assassin's Apprentice
Série: A Saga do Assassino # 1
1- A O aprendiz de Assasino
2- (1996 US)
3- (1997 US)
Autora: George R. R. Martin
Editora: Suma de Letras
Ano: 2019
Páginas: 480
Saiba mais: Skoob\Goodreads
Comprar: Amazon


Sinopse: "Wild Cards explora todas as qualidades dos quadrinhos clássicos e da ficção, e acrescenta uma dose de lógica e realismo. É incrível." – The Guardian

Um vírus alienígena atinge a Terra logo após o fim da Segunda Guerra Mundial, dotando algumas pessoas de poderes incríveis ou deformidades abomináveis, e transformando para sempre o rumo da história. Aqueles abençoados com superpoderes físicos ou mentais são chamados de ases, enquanto as pessoas afligidas com habilidades ou características bizarras são denominadas curingas. Alguns usam seus poderes a serviço da humanidade. Outros, para os próprios interesses. Nesse novo mundo, a humanidade busca recuperar seu equilíbrio – e enquanto ases viram heróis nacionais e estrelas de cinema, os curingas são marginalizados e relegados à miséria. No entanto, nem todo ás usa seu poder para o bem, e no Bairro dos Curingas os ânimos estão esquentando – e uma revolta parece prestes a explodir. Wild Cards: O começo é o primeiro livro da Tríade Original, e dá início à série Wild Cards editada por George R.R. Martin, o consagrado autor de A guerra dos tronos. Capítulo a capítulo, um time de grandes nomes da ficção fantástica apresenta personagens complexos e interessantes, e constrói a trama inesquecível de um mundo ao mesmo tempo tão parecido e tão diferente do nosso.


Trama: Tudo começa com o conclusão da Segunda Guerra Mundial, uma nave alienígena pousa na Terra carregando uma arma biológica. O vírus descrito como Carta Selvagem é liberado na troposfera, próxima à cidade de  Nova York, matando uma numerosa parcela da população. Os sobreviventes sofreram diversas mutações, 9% da população de infectados desenvolveu deformidades ou  anomalias, denominados como "Curingas", e um ínfima parcela desenvolveu características especiais (fantásticas) e ganharam a alcunha de "Ases". Confrontos são gerados no mundo todo acerca da relação dos humanos e dos mutantes, principalmente quando os "Curingas" são preteridos aos "Ases", os primeiros sendo tratados como pragas, enquanto os "Ases" eram recrutados como heróis. Fiquei muito empolgada com a sinopse, porque amo ficção científica. De fato se trata de uma trama original e bem retratada, mas talvez tenha faltado a capacidade de cativar.

Resenha - Daisy Jones & the Six

Título: Daisy Jones & the Six: uma história de amor e música
Título Original: Daisy Jones & the Six
Autora: Taylor Jenkins Reid
Editora: Paralela
Páginas: 360
Ano: 2019
Saiba mais: Skoob
Comprar: Amazon // Submarino // Saraiva 


Sinopse: 
Embalado pelo melhor do rock'n'roll, um romance inesquecível sobre uma banda dos anos 1970, sua apaixonante vocalista e o amor à música. Da autora de Em Outra Vida, Talvez?. Todo mundo conhece Daisy Jones & The Six. Nos anos setenta, dominavam as paradas de sucesso, faziam shows para plateias lotadas e conquistavam milhões de fãs. Eram a voz de uma geração, e Daisy, a inspiração de toda garota descolada. Mas no dia 12 de julho de 1979, no último show da turnê Aurora, eles se separaram. E ninguém nunca soube por quê. Até agora. Esta é história de uma menina de Los Angeles que sonhava em ser uma estrela do rock e de uma banda que também almejava seu lugar ao sol. E de tudo o que aconteceu — o sexo, as drogas, os conflitos e os dramas — quando um produtor apostou (certo!) que juntos poderiam se tornar lendas da música. Neste romance inesquecível narrado a partir de entrevistas, Taylor Jenkins Reid reconstitui a trajetória de uma banda fictícia com a intensidade presente nos melhores backstages do rock'n'roll.

A Trama Sexo, drogas e rock'n'roll - essa é a proposta de Daisy Jones & the Six. Uma trama inteiramente focada em desenvolvimento de personagem, o livro conta  a história de como os sete integrantes de uma das maiores bandas fictícias dos anos 1970 se conheceram, gravaram o primeiro álbum e estouraram na mídia. Contada apenas por entrevistas, como um documentário dos integrantes e pessoas próximas da banda, a narrativa segue os exorbitantes altos e desastrosos baixos de um grupo de pessoas que só queria aproveitar o melhor do que o rock'n'roll os proporcionaria.

Resenha - The Risk

Título: The Chase - o dilema de Brenna e Jake
Título Original: The Risk
Série: Briar U
1- The Chase (2019)
2- The Risk (2019)
3- The Play
Autora: Elle Kennedy
Editora: Paralela
Páginas: 384
Ano: 2019
Saiba mais: Skoob
Comprar: Amazon // Saraiva // Submarino

Podem me chamar de fútil se quiserem, mas eu não teria problema algum em ler Elle Kennedy para o resto da vida.

Sinopse: Todo mundo diz que eu sou uma garota má. Deve ser porque faço o que bem entendo e não estou nem aí para o que os outros pensam de mim. Apesar disso, dormir com o inimigo não faz meu tipo. Como filha do técnico de hóquei da Briar, minha vida estaria arruinada se eu me relacionasse com um jogador de um time rival.
E essa é a definição de Jake Connelly. Estrela e capitão do time de Harvard, ele é arrogante, irritante e atraente demais pra ser verdade. E o pior é que eu preciso que ele tope fingir ser meu namorado para que eu consiga meu tão sonhado estágio na HockeyNet. Mas é claro que aquele gostoso idiota não vai facilitar: para cada encontro falso… ele quer um pra valer.
O que significa que estou em apuros. Isso de ficar saindo às escondidas com Jake Connelly não tem como dar certo. Embora esteja cada vez mais difícil resistir ao desejo e ao sorriso de Jake, me recuso a me apaixonar por ele.
Esse é o único risco que eu não vou correr.

A Trama: Admito que, quando iniciei a leitura da série Briar U, pretendia apenas preencher um pouco o buraco que Amores Improváveis deixou em meu coração. Não esperava, de forma alguma, que algum dos livros desse spin off fosse me conquistar tanto - a ponto de entrar para o meu Top 3 da autora (deixando claro, Dean e Allie continuam no topo, e de lá acho impossível muito difícil eles saírem).
A relação dos protagonistas é divertidíssima, mas aqui a história foi muito além. O romance continua sendo o foco principal, porém relações familiares também foram muito bem trabalhadas, assim como algumas situações de machismo e dependência química - isso tudo sem perder aquela leveza (que eu amo) tão característica dos livros da autora

Resenha - A Rainha Aprisionada

Título: A Rainha Aprisionada
Título Original: The Caged Queen
Série: Iskari
1- A Caçadora de Dragões 
2- A Rainha Aprisionada
3- The Sky Weaver (2019 US)
Autora: Kristen Ciccarelli
Editora: Seguinte
Ano: 2019
Páginas: 376
Saiba mais: Skoob\Goodreads
Comprar: Amazon


Sinopse: No segundo volume da trilogia Iskari, uma nova heroína entra em cena para lutar pela liberdade de seu povo ― e de sua irmã ― em meio a um conflito que apenas começou. Firgaard foi governada durante décadas por um rei tirano e manipulador, capaz de condenar povos inteiros apenas para aumentar seu poder. Depois de uma grande batalha, Asha, sua filha, conseguiu derrotá-lo. E, assim, Dax, o primogênito, assumiu o poder ao lado de Roa, sua esposa. Roa é uma forasteira vinda das savanas ― um território sob o domínio de Firgaard, que há anos é oprimido e está prestes a entrar em colapso. O maior desejo da nova rainha, mesmo sabendo que não é bem-vinda em seu novo lar, é mudar a vida de seu povo. O que ela não esperava era encontrar uma chance de alterar o curso do destino e trazer de volta à vida sua irmã gêmea, Essie, morta quando criança em um terrível acidente. O único obstáculo? O novo rei.

Trama: Após a queda do rei de Figaard, Dax seu herdeiro ocupa seu lugar, mas seu desejo nunca foi ser rei, e ele conduz sua vida e seu reino de forma indiferente e descompromissada. Roa casa-se com ele com o intuito de libertar seu povo da miséria, causada pelos draksors  muitos anos atrás. Roa não é bem vinda em Figaard assim como Dax não é bem vindo nas Savanas. Dormindo em quartos separados e sem consumar o casamento, o Rei e a Rainha mantêm uma relação de fachada. Preocupada com a condição de sua irmã e com a vida de seu povo, Roa decide moldar o destino com suas próprias mãos, mesmo que precise trair e matar para obter o que quer. Fui pega de surpresa com A Rainha Aprisionada, depois de me divertir com A Caçadora de Dragões eu estava ansiosa para rever Asha, Torwin e Kozu, o desgosto me atingiu forte quando vi que a protagonista não era nossa querida Iskari, e passei um terço do livro resmungando - conforme fui lendo e me envolvendo na trama passei a apreciar essa segunda etapa da revolução de Firgaard, e fiquei cada vez mais interessada em seus personagens.

Resenha - As Aventuras de Tintim: Os Charutos do Faraó

Título: Os Charutos do Faraó
Título Original: Les Cigares du Pharaon
Serie: As Aventuras de Tintim #4
Editora: Hergé
Editora: Quadrinhos da Cia
Páginas: 62
Ano: 2005 (original P&B  1955; Col 1974)
Saiba mais: Skoob | Goodreads
Comprar: Amazon


Sinopse: Levados por um egiptólogo excêntrico, Tintim e Milu saem em busca do túmulo perdido do faraó Ki-Oskh, nas areias do deserto do Cairo. Mas a descoberta arqueológica é apenas a fachada de uma perigosa rede internacional de traficantes, que esconde em seus porões caixas e mais caixas de misteriosos charutos. Para salvar a própria pele e desmascarar a quadrilha, Tintim e Milu velejam de sarcófago, cruzam o deserto a pé, pilotam um avião e até andam de elefante, entre outras peripécias pelo Oriente.


A Trama: Por ocasião do destino, Tintim se encontra com Armando Siclone, um egiptólogo fixado em encontrar a tumba do faraó Kih-Oskh. Sem nenhum motivo aparente além de curiosidade, ele resolve abandonar seus planos anteriores e segue o acadêmico para o deserto nos arredores do Cairo, onde Armando some e Tintim dá de cara com o crime organizado. Finalmente começamos a enxergar a engenhosidade que tornou esse personagem e seu autor tão icônicos.

Resenha - Nightflyers

Título: Nightflyers
Título Original: Nightflyers
Livro Único.
Autora:  George R. R. Martin
Editora: Suma de Letras
Ano: Edição: 2019 | Original: 1985
Páginas: 144
Saiba mais: Skoob | Goodreads
Comprar: Amazon


Sinopse: Misturando ficção científica e terror, Nightflyers é um conto único em enredo e narrativa, e uma obra-prima de George R. R. Martin, um dos maiores nomes da literatura fantástica de todos os tempos. Nas fronteiras do universo, uma expedição científica composta de nove acadêmicos dá início à missão de estudar os volcryn, uma misteriosa raça alienígena. Existem, no entanto, mistérios mais perigosos a bordo da própria nave. A Nightflyer, única embarcação que se dispôs à missão, é uma maravilha tecnológica: completamente automatizada e pilotada por uma única pessoa. O capitão Royd Eris, porém, não se mistura com a tripulação – conversando apenas através de comunicadores e se apresentando somente por holograma, ele mais parece um fantasma do que um líder. Quando Thale Lassamer, o telepata do grupo, começa a detectar uma presença desconhecida e ameaçadora por perto, a tripulação se agita e as desconfianças aumentam. E a garantia de Royd sobre a segurança de todos é posta à prova quando uma entidade malévola começa uma sangrenta onda de assassinatos.

Trama: Um grupo pouco convencional, composto de cientistas e especialistas, embarca em uma viagem aos confins do universo em busca de uma antiga raça alienígena chamada volcryn, e que supostamente viaja eternamente pelo espaço. Logo no início da jornada,  a equipe  se depara com o estranho  Capitão Royd, que notavelmente consegue guiar e operar a super moderna Nightflyer sozinho, mas em nenhum momento aparece pessoalmente em frente aos seus tripulantes, enervando esses últimos por se fazer presente através de hologramas e estar sempre vigiando a tripulação por câmeras de segurança. Logo, o grupo instalado na Nightflier percebe estranhos e suspeitos acontecimentos relativos à nave e ao capitão.

Resenha - Conectadas

Título: Conectadas
Autora: Clara Alves
Editora: Seguinte
Páginas: 320
Ano: 2019
Saiba mais: Skoob
Comprar: Amazon // Submarino // Saraiva 


Sinopse: 
Ser uma garota gamer não é fácil. Principalmente quando um romance está em jogo. Raíssa e Ayla se conheceram jogando Feéricos, um dos games mais populares do momento, e não se desgrudaram mais — pelo menos virtualmente. Ayla sente que, com Raíssa, finalmente pode ser ela mesma. Raíssa, por sua vez, encontra em Ayla uma conexão que nunca teve com ninguém. Só tem um “pequeno” problema: Raíssa joga com um avatar masculino, então Ayla não sabe que está conversando com outra menina. Quanto mais as duas se envolvem, mais culpa Raíssa sente. Só que ela não está pronta para se assumir — muito menos para perder a garota que ama. Então só vai levando a mentira adiante… Afinal, qual é a chance de as duas se conhecerem pessoalmente, morando em cidades diferentes? Bem alta, já que foi anunciada a primeira feira de Feéricos em São Paulo, o evento perfeito para esse encontro acontecer. Em um fim de semana repleto de cosplays, confidências e corações partidos, será que esse romance on-line conseguirá sobreviver à vida real?

A Trama Cansada de ser deixada de lado por ser uma garota gamer, Raíssa resolve criar um personagem masculino e se passar por um garoto para jogar o mais popular game do momento: Feéricos. É com esse personagem que ela conhece Ayla. Raíssa não se preocupa muito em dizer que é menina, mantendo a fachada masculina, pois acredita que não irá se encontrar com Ayla nunca. Porém, tudo muda quando o relacionamento das duas não se restringe mais apenas ao jogo e as meninas finalmente tem a chance de se conhecer pessoalmente.
Cheia de referências à cultura geek, segundo a própria autora, o livro foi feito inspirado na épocas de fakes no Orkut, então se você tem qualquer experiência com essa fase, você com certeza vai se identificar com a história de Raíssa e Ayla.

Resenha - Glória e Ruína

Título: Gloria e Ruína
Título Original: Queen Of Ruin
Série: Grace and Fury
1- Graça e Fúria
2- Glória e Ruína

Autora: Tracy Banghart
Editora: Seguinte
Ano: 2019
Páginas: 312
Saiba mais: Skoob
Comprar: Amazon

Não há spoilers nessa resenha, exceto em 'Sinopse"

Sinopse: Na continuação de Graça e Fúria, Serina e Nomi Tessaro vão dar início a uma revolução que vai mudar a vida de todas as mulheres de seu país. As irmãs Serina e Nomi Tessaro nunca imaginaram que acabariam em lugares tão distintos: Serina em uma ilha-prisão - Monte Ruína; Nomi no palácio de Bellaqua, como uma graça, à disposição do príncipe herdeiro do reino. Depois de sofrer uma grande traição, Nomi também é mandada para a ilha e, ao chegar lá, para sua surpresa, encontra Serina à frente de uma rebelião das prisioneiras contra os guardas.  Agora as irmãs têm um objetivo em comum: mudar o funcionamento de toda a sociedade. Além disso, elas sabem que Renzo, gêmeo de Nomi, está em perigo. Relutantes, elas se separam mais uma vez, e Nomi retorna à capital, enquanto Serina permanece em Monte Ruína para garantir que todas as mulheres encontrem um lugar seguro para viver. Só que nada sai como o planejado ― e as duas vão ter de enfrentar os seus maiores medos para mudar o país de uma vez por todas.

Trama: Depois dos eventos ocorridos no primeiro volume,  Serina precisa liderar as mulheres do Monte Ruína para a liberdade, mas isso vai ser ainda mais difícil do que o árduo caminho percorrido até então. Enquanto isso, Nomi e Malachi vão ao encontro de Renzo e Dante, com o destino de Verídia em suas mãos.

Resenha - Tintim no Congo

Título: Tintim no Congo
Título Original: Tintin au Congo
Serie: As Aventuras de Tintim #2
Editora: Hergé
Editora: Quadrinhos da Cia
Páginas: 62
Ano: 2009 (original P&B  1931; Col 1946)
Saiba mais: Skoob | Goodreads
Comprar: Amazon

Sufocante.

Sinopse: Tintim e Milu vão ao antigo Congo Belga, na África, fazer uma série de reportagens e documentários. A viagem começa com maus presságios, e logo ao cruzar o oceano nossos heróis enfrentarão os primeiros perigos. Famosos no continente, Tintim e Milu vão se ver às voltas não só com as feras - leões, elefantes, rinocerontes, leopardos, cobras gigantes -, mas com um perigoso bandido que tentará se livrar deles de todas as maneiras.


A Trama: Neste segundo volume, nosso querido repórter belga  vai ao Congo investigar o que de suspeito pode estar acontecendo no país. Em meio a diversas confusões, Tintim conhece o Congo, sua fauna e seus habitantes. Durante a viajem, ele descobre um possível esquema criminoso envolvendo o contrabando de diamantes, e passa a buscar a verdade por trás do caso. Este volume gera até hoje uma grande polêmica no mundo todo, escrito na época em que o Congo era colônia da Bélgica (até que a colonização se tornou oficial e o Estado Livre recebeu o nome de "Congo Belga", foi oficializado no final de 1908 e continuou assim até 1960). Devido a sua posição social, o meio em que vivia e o tipo de arte que era a sua matéria-prima naquele determinado momento, seria esperado (embora, claro, fosse possível ter diferentes opiniões e as propagar, mesmo que incomuns) um conteúdo expressivamente preconceituoso. 

Resenha - O Instituto

Título: O Instituto
Título Original: The Institute
Livro Único.
Autor: Stephen King
Editora: Suma de Letras
Páginas: 544
Ano: 2019
Saiba Mais: Skoob / Goodreads
Comprar: Amazon 

Sinopse: O novo livro de Stephen King, o Mestre do Terror, traz uma história inesquecível sobre um grupo de crianças com talentos especiais que precisam se unir para derrubar um grande mal.
No meio da noite, em uma casa no subúrbio de Minneapolis, um grupo de invasores assassina os pais de Luke e sequestra silenciosamente o menino de doze anos. A operação leva menos de dois minutos.
Quando Luke acorda, ele está no Instituto, em um quarto que parece muito o dele, exceto pelo fato de que não tem janela. E do lado de fora tem outras portas, e atrás delas, outras crianças com talentos especiais, que chegaram àquele lugar do mesmo jeito que Luke. O grupo formado por ele, Kalisha, Nick, George, Iris e o caçula, Avery Dixon, de apenas dez anos, está na Parte da Frente. Outros jovens, Luke descobre, foram levados para a Parte de Trás e nunca mais vistos.
Nessa instituição sinistra, a equipe se dedica impiedosamente a extrair dessas crianças toda a força de seus poderes paranormais. Não existem escrúpulos. Conforme cada nova vítima vai desaparecendo para a Parte de Trás, Luke fica mais e mais desesperado para escapar e procurar ajuda. Mas até hoje ninguém nunca conseguiu fugir do Instituto.
Tão aterrorizante quanto A incendiária e tão espetacular quando It: a Coisa, este novo livro de Stephen King mostra um mundo onde o bem nem sempre vence o mal.

A TramaO livro começa com uma primeira parte meio lenta e que parece nada a ver com o restante da trama. Temos Tim Jamieson, que decide aceitar a proposta de descer de um avião para dar lugar a um agente, e a partir daí começa um "mochilão" pelas estradas dos Estados Unidos, tentando chegar em Nova York, mas acaba aceitando um emprego de vigia noturno na cidadezinha de DuPray, na Carolina do Sul. Logo em seguida, somos introduzidos à vida de Luke Ellis, um menino prodígio que, aos doze anos, está prestes a prestar um tipo de "vestibular" para entrar na faculdade. A trama realmente começa quando Luke é sequestrado durante a noite e seus pais são assassinados. Assim que acorda, ele se vê em um quarto igualzinho ao seu, mas sem janelas, e quando sai dele, encontra um corredor e uma menina chamada Kalisha, que o apresenta à sua "nova vida" no Instituto. Obviamente esses dois plots vão se conectar em algum momento, mas na maior parte do livro acompanhamos Luke e as crianças no Instituto, sendo testadas e torturadas para desenvolverem um certo tipo de poder que elas têm. Esse livro conseguiu me prender do início ao fim, era difícil colocar ele de lado pra fazer alguma coisa e quando eu tinha que fazer isso, só ficava pensando nele. Eu precisava saber como essa história terminaria! O livro sempre me deixava sedenta por mais e fiquei impressionada com o quão rápido eu consegui lê-lo. Esse não é um livro de terror, está mais para ficção-científica e suspense, mas na maioria das vezes, King consegue acertar em tudo o que ele decide fazer, e essa foi uma dessas vezes. O livro é angustiante, revoltante de certo modo e te faz questionar os princípios da humanidade. Eu amei tanto O Instituto que até os agradecimentos me emocionaram. Pra não falar que o livro não tem defeitos, devo dizer que ele poderia ter sido um pouco mais curto e a parte final foi estendida um pouco mais do que deveria.

Resenha - A Heroína da Alvorada

Título: A Heroína da Alvorada
Título Original: Hero at the Fall
Série: A Rebelde do Deserto
1- A Rebelde do Deserto
2- A Traidora do Trono

3- A Heroína da Alvorada
Autor: Alwyn Hamilton
Editora: Seguinte
Páginas: 379
Ano: 2018
Saiba Mais: Skoob | Goodreads
Comprar: Amazon

Um final empolgante para uma ótima trilogia!

SinopseNo último volume da trilogia A Rebelde do Deserto, Amani vai se deparar com a escolha mais difícil que já teve que fazer: entre si mesma e seu país.
Quando a atiradora Amani Al-Hiza escapou da cidadezinha em que morava, jamais imaginava se envolver numa rebelião, muito menos ter de comandá-la. Depois que o cruel sultão de Miraji capturou as principais lideranças da revolta, a garota se vê obrigada a tomar as rédeas da situação e seguir até Eremot, uma cidade que não existe em nenhum mapa, apenas nas lendas — e onde seus amigos estariam aprisionados.
Armada com sua pistola, sua inteligência e seus poderes, ela vai atravessar as areias impiedosas para concluir essa missão de resgate, acompanhada do que restou da rebelião. Enquanto assiste àqueles que ama perderem a vida para soldados inimigos e criaturas do deserto, Amani se pergunta se pode ser a líder de que precisam ou se está conduzindo todos para a morte certa.

A TramaPassou-se algum tempo depois dos acontecimentos de A Traidora do Trono - não muito -, e agora acompanhamos Amani tentando liderar os rebeldes em busca dos prisioneiros do sultão, incluindo Ahmed e Shazad. Porém, o objetivo principal continua sendo livrar Miraji das mãos do sultão e libertar os djinnis presos. Esse livro foi uma aventura e foi ótimo poder concluir essa trilogia. A trama se desenvolve com agilidade e consegue prender o leitor até o final, para descobrir como finalmente tudo terminará, e a autora consegue nos passar todas as emoções necessárias para torcer pelos personagens ao longo do livro. Entretanto, senti que ainda faltou algo para o final ser impressionante - apesar de várias das passagens serem bastante empolgantes -, talvez isso se deva a eu ter demorado um tempo para finalmente ler esse livro, e quando finalmente o fiz, já não estava tão conectada assim com a história. De qualquer forma, a autora nos brinda com um fim satisfatório, talvez um pouco piegas, mas que combina perfeitamente com o tom de lenda que a história toda tem.