Resenha - A Astrologia de Nós Dois

Título: A Astrologia de Nós Dois
Título Original: The Astrology Of You and Me
Livro Único.
Autor: Gary Goldschneider
Editora: V&R Editoras
Páginas: 354
Ano: 2018
Saiba Mais: Skoob
Comprar: Amazon 

SinopseA astrologia de nós dois é um guia valioso para compreender cada uma das relações de sua vida. Com capítulos organizados por signo, este livro oferece conselhos práticos e precisos para fazer com que os astros trabalhem para você. Aprenda como:Impressionar um libriano no primeiro encontro; Pedir aumento para um sagitariano; Dividir o apartamento com um leonino; Educar uma criança de Escorpião; Sobreviver às férias com alguém de Gêmeos; Terminar com alguém de Aquário; Vender para um capricorniano; E muito mais!

A TramaLiteralmente um guia de aconselhamentos para o melhor convívio com cada signo. Disposto pela ordem das casas, podemos procurar dicas e estudar o comportamento de cada signo no ambiente de trabalho, como chefe e funcionário, na família, no convívio social e nos relacionamentos amorosos. O autor se fixa ao detalhes práticos e faz relatos sucintos.

12 Livros Para 2019

Oi, gente! Mais uma vez cá estou eu fazendo uma lista para tentar cumprir esse desafio. Em 2018 eu não cheguei a divulgar meus 12 livros, mas também não me empenhei tanto em segui-la, já que foi um ano difícil para leituras por si só. Mas quero muito reverter esse resultado em 2019, por isso vim compartilhar mais uma vez minha listinha de livros que quero muito conseguir ler nesse novo ano.

Tentando manter uma organização, separei um livro para cada mês do ano, e espero conseguir cumprir minhas metas dessa vez. Bora lá ver a listinha!

Janeiro: Admirável Mundo Novo - Aldous Huxley

Para o início do ano, escolhi um clássico das distopias que quero ler faz tempo. Consegui adquirir Admirável Mundo Novo ainda no começo de 2018, mas ainda não tinha conseguido selecioná-lo como uma próxima leitura. Então, está aqui na minha lista de metas para 2019, com chances de ser a primeira leitura do ano, inclusive.






Comprei Lolita junto com o livro anterior, e também está parado aqui ainda. Esse mais por ainda não ter tido a coragem de pegá-lo para ler. Mas, sendo meu livro para fevereiro, está chegando o momento em que finalmente conhecerei essa obra tão controversa, mas também tão conceituada.





Resenha - Fahrenheit 451

Título: Fahrenheit 451
Título Original: Fahrenheit 451
Livro Único.
Autor: Ray Bradbury
Editora: Biblioteca Azul
Páginas: 216
Ano: 2012 (Original: 1953)
Saiba Mais: Skoob
Comprar: Amazon 

SinopseImagine uma época em que os livros configurem uma ameaça ao sistema, uma sociedade onde eles são proibidos. Para exterminá-los, basta chamar os bombeiros - profissionais que outrora se dedicavam à extinção de incêndios, mas que agora são os responsáveis pela manutenção da ordem, queimando publicações e impedindo que o conhecimento se dissemine como praga. Para coroar a alienação em que vive essa nova sociedade, as casas são dotadas de televisores que ocupam paredes inteiras de cômodos, e exibem "famílias" com as quais se pode dialogar, como se estas fossem de fatos reais. Este é o cenário em que vive Guy Montag, bombeiro que atravessa séria crise ideológica. Sua esposa passa o dia entretida com seus "parentes televisivos", enquanto ele trabalha arduamente. Sua vida vazia é transformada quando ele conhece a vizinha Clarisse, uma adolescente que reflete sobre o mundo à sua volta e que o instiga a fazer o mesmo. O sumiço misterioso de Clarisse leva Montag a se rebelar contra a política estabelecida, e ele passa a esconder livros em sua própria casa. Denunciado por sua ousadia, é obrigado a mudar de tática e a buscar aliados na luta pela preservação do pensamento e da memória.
Um clássico de Ray Bradbury, "Fahrenheit 451" é não só uma crítica à repressão política mas também à superficialidade da era da imagem, sintomática do século XX e que ainda parece não esmorecer.

A TramaEm um futuro distópico, todo e qualquer tipo de livro foi proibido, já que livros podem trazer ideais e sentimento controversos, e os cidadãos da sociedade representada aqui foram quem escolheu abolir os livros, para se livrarem do sofrimento, melancolia e revoltas que eles podem causar. A função dos bombeiros já não é mais apagar incêndios, ainda mais quando todas as casas são à prova de fogo. Agora eles são chamados para incendiarem bibliotecas clandestinas. Tudo o que as pessoas leem são as cartilhas com informações do programa de tv do dia, sem contar que elas conseguem interagir ao vivo com o que está acontecendo, porque tudo é configurado para que elas sintam como se aqueles atores fossem sua "família". É nesse universo que somos inseridos ao iniciar a leitura de Fahrenheit 451, e foi doloroso ler sobre uma realidade onde as pessoas preferiram trocar o senso crítico, a opinião própria e o direito de revolta por uma alienação cega, onde elas não se importam com o podre do mundo, contanto que esteja tudo bem dentro de suas bolhas. Um exemplo perfeito disso, é que durante toda a história, tem uma guerra acontecendo no mundo, mas pouco se é falado, já que eles preferiram deixar tudo o que trouxesse o mínimo de sofrimento e preocupação de lado.

Quinta das Capas #105

Capas de 2018

Oi, gente! Dá pra acreditar que 2019 já está quase chegando? Parece que foi ontem que comemoramos a chegada de 2018. Por isso, o tema de hoje é uma recapitulação de algumas das capas que foram lançadas por aqui esse ano. Fico feliz em dizer que foram muitas capas bonitas, o que tornou difícil escolher apenas algumas para o post, então espero que elas sejam um reflexo do conteúdo de seus livros.

   
Começando pela nossa última resenha, Outsider é um livro de mistério e a capa consegue trazer muito bem o "espírito" do livro. Os tons de preto e branco com o destaque no nome do autor casaram muito bem, também com o detalhe nos olhos do "forasteiro". A Pequena Caixa de Gwendy trás elementos contidos na história e eu gosto disso, apesar da imagem parecer um pouco bagunçada. Uma Coisa Absolutamente Fantástica já é uma capa mais minimalista, destacando mais o título e o nome do autor, mas as silhuetas dos Carls como background trazem a história do livro para a capa; também gosto da combinação das cores e de como elas se destacam. Gosto muito da capa de 13 Segundos e de como ela representa muito bem a história do livro. A combinação de preto com vermelho nunca falha, só nunca entendi muito bem a necessidade daquela bordinha embaixo da capa.

Resenha - Outsider

Título: Outsider
Título Original: The Outsider
Livro Único.
Autor: Stephen King
Editora: Suma de Letras
Páginas: 528
Ano: 2018
Saiba Mais: Skoob
Comprar: Amazon 

SinopseO corpo de um menino de onze anos é encontrado abandonado no parque de Flint City, brutalmente assassinado. Testemunhas e impressões digitais apontam o criminoso como uma das figuras mais conhecidas da cidade — Terry Maitland, treinador da Liga Infantil de beisebol, professor de inglês, casado e pai de duas filhas.O detetive Ralph Anderson não hesita em ordenar uma prisão rápida e bastante pública, fazendo com que em pouco tempo toda a cidade saiba que o Treinador T é o principal suspeito do crime. Maitland tem um álibi, mas Anderson e o promotor público logo têm amostras de DNA para corroborar a acusação. O caso parece resolvido.
Mas conforme a investigação se desenrola, a história se transforma em uma montanha-russa, cheia de tensão e suspense. Terry Maitland parece ser uma boa pessoa, mas será que isso não passa de uma máscara? A aterrorizante resposta é o que faz desta uma das histórias mais perturbadoras de Stephen King.

A TramaEm Outsider, Stephen King nos trás um thriller policial com um mistério difícil de ser solucionado, com o toque que é sua marca registrada: o sobrenatural. Como a própria sinopse já diz, o livro parte da premissa de que o treinador Terry Maitland é o principal suspeito do assassinato brutal de um menino. Todas as provas e testemunhas apontam para ele. Mas Terry tem o álibi perfeito, já que ele estava a centenas de quilômetros de distância quando o crime aconteceu. Como pode o Treinador T estar em dois lugares ao mesmo tempo? O livro trás um mistério bem interessante e instigante de acompanhar, nos fazendo criar teorias e querer ler cada vez mais para descobrir logo o que está acontecendo. Ao longo da narrativa, o autor nos dá algumas dicas e, apesar de não ter acertado 100%, por boa parte do livro eu já tinha ideia do que estava acontecendo - mas isso não estragou minha experiência de leitura. A história se enrola em algumas partes, o que poderia resultar em algumas páginas a menos, mas num geral, tudo é bem interessante, até mesmo as partes de enrolação conseguiram me prender. Esperava uma coisa diferente do final, talvez algo mais grandioso (estilo final de It - A Coisa, no confronto das crianças com A Coisa), porém foi satisfatório e, de certa forma, bem amarrado.

Resenha - A Poeta X

Título: A Poeta X
Título Original: The Poet X
Autor: Elizabeth Acevedo
Editora: Galera Record
Páginas: 322
Ano: 2018
Saiba mais: Skoob
Comprar: Amazon // Submarino // Saraiva 

Sinopse: 
Best-seller do New York Times sobre uma adolescente que conta sua história através de uma poesia intensa, crua e poderosa. Xiomara Batista se sente sem voz e incapaz de se esconder no Harlem. Desde que seu corpo ganhou curvas, ela aprendeu a deixar os punhos e toda sua raiva falarem. E, em contraste com as regras da mãe religiosa, Xio tenta expressar suas próprias crenças através da poesia: a garota derrama toda frustração e paixão nas páginas de um caderno, recitando as palavras para si mesma como orações. Em seu romance de estreia, Elizabeth Acevedo aborda dúvidas e experiências frenquentes da adolescência – religião, relacionamento e autoaceitação –, apresentando essas questões por meio das lentes da herança afro-latina de Xiomara. Acevedo elevou o romance escrito em verso a uma ferramenta poderosa, fornecendo aos leitores uma narrativa incrivelmente viciante e deliciosamente rítmica, implorando para ser lido em voz alta. A autora traz um ponto de vista único para aqueles que convivem com todo tipo de preconceito e procuram por si mesmos na literatura e na vida.

A TramaO livro conta a história de Xiomara, uma adolescente que aprendeu a usar a poesia como forma de expressão de toda a raiva que sente por dentro. Em casa, ela tem uma relação de repressão por ter crescido em um ambiente religioso e rígido que não condiz com como Xio gosta de encarar a própria vida. A narrativa acompanha Xiomara enquanto ela experimenta o primeiro relacionamento, o desenvolvimento de sua família e seu crescimento pessoal enquanto adulta que passa a respeitar as próprias vontades e o próprio corpo.

Resenha - Coração-Granada

Título: Coração-Granada
Autor: João Doederlein
Editora: Paralela
Páginas: 198
Ano: 2018
Saiba mais: Skoob
Comprar: Amazon // Submarino // Saraiva 

Sinopse: 
Combinando novos ressignificados e poemas, @akapoeta apresenta textos de sensibilidade e poesia. Segundo o autor, o amor (correspondido ou não) mexe com nossa alma e nosso corpo. A ansiedade, quando nos toma de assalto, também. Outro ponto em comum: os dois fizeram e continuam fazendo artistas de todos os tipos produzirem criações capazes de gerar reflexão e também de dar sentido ao que, muitas vezes, parecia já não ter. É o caso de @akapoeta, pseudônimo de João Doederlein, neste seu segundo livro. Nele, o escritor fala de paixões e crises de ansiedade e da relação entre ambas, com a mesma delicadeza que transformou a sua obra de estreia, 'O livro dos ressignificados'.

A TramaO livro gira em torno de amores não correspondidos e da ansiedade e angústia que só quem passa por isso sabe escrever tão bem. Misturando sua marca autoral, os já tão conhecidos resignificados (que, sejamos sinceras, a gente encontra em tudo quanto é lugar agora), com trechos de poesias, frases e até textos um pouco mais longo, o autor convida o leitor a dividir o fardo que ele carrega. É um livro mais íntimo do que a obra de estreia do autor, que se expõe mais e faz contato direto com o leitor.

Quinta das Capas #104

Conte-me Seus Sonhos

O Quinta das Capas de hoje eu resolvi fazer de uma forma diferente. Ao invés de ser um tema, decidi trazer algumas das várias capas pelo mundo de um dos meus livros favoritos desse ano: Conte-me Seus Sonhos, do Sidney Sheldon. Será que as capas conseguiram trazer a essência do livro para os olhos dos leitores?

   
Começando com as edições brasileiras, temos a mais recente, publicada em 2011 pela Record. É uma capa simples, mas eu gosto da edição e do contraste do preto com o amarelo. A edição de 1998 é uma das que eu mais gosto, principalmente pelas cores e os elementos que remetem à história do livro. Também temos uma edição vira-vira da Saraiva, com uma capa genérica, mas não chega a ser das mais horríveis. Já nas capas estrangeiras, essa primeira é bem tipica de livros do gênero publicados na época. A fonte, as cores, a organização do design. Não é das minhas favoritas, mas também não é das piores.

Mini Resenhas #7

Hoje trago para vocês uma breve resenha de dois livros que eu li esse ano, mas como ainda não foram publicados por aqui (e tem uma chance bem grande de serem), vou falar brevemente a minha opinião sobre cada um.

They Both Die At The End - Adam Silvera
Páginas: 373
Nota: 44
Comprar: Amazon

O livro é sobre uma sociedade em que existe uma previsão de quando você vai morrer. Em um dia qualquer, você pode receber uma ligação da central falando que sua morte ocorrerá dentro de 24 horas. Os dois protagonista não se conheciam antes, mas acabam se juntando para viverem seu último dia juntos, numa aventura que nenhum deles esperava. Eu amei como esse livro fala mais sobre a vida do que qualquer outra coisa. Mateo e Rufus viveram no seu Último Dia como não tinham vivido a vida inteira, e foi incrível acompanhá-los nessa jornada. Mesmo sendo o último dia deles, eles ainda conseguiram aprender muito, encontraram amizades e amor e mais um motivo para quererem estar vivos. They Both Die at the End trás uma mensagem bem bonita e eu recomendo muito a leitura!

Playlist - Uma Coisa Absolutamente Fantástica

Playlist é a coluna onde vamos relacionar livros com músicas que nos lembram da trama, personagens, de uma cena específica ou algum outro aspecto do livro. É uma ótima sugestão de trilha sonora para quem vai ler e também é divertido para conhecer músicas novas!

Oi, gente! Tem um tempão que essa coluna não aparece por aqui, mas depois de ler Uma Coisa Absolutamente Fantástica, algumas músicas vieram a minha cabeça e elas se encaixavam muito bem com a história. Então é desse livro a playlist de hoje!

Imagem retirada do blog Gettube

Resenha - A Louca dos Gatos

Título: A Louca dos Gatos
Título Original: Herding Cats
Autor: Sarah Andersen
Editora: Seguinte
Páginas: 112
Ano: 2018
Saiba mais: Skoob
Comprar: Amazon // Submarino // Saraiva 

Sinopse: 
A terceira coletânea da cartunista Sarah Andersen traz novas tiras que retratam os desafios de ser um jovem adulto num mundo cada vez mais instável. Os quadrinhos de Sarah Andersen são para todos que precisam lidar com níveis de ansiedade cada vez mais alarmantes, que sentem que o mundo está à beira do colapso e que se esforçam para sair ao menos um centimetrozinho da zona de conforto. Ou seja, é basicamente um manual de sobrevivência para os dias de hoje. Além de suas tirinhas sagazes e encantadoras, a autora, que já reuniu mais de 2 milhões de fãs no Facebook, traz também ensaios ilustrados com dicas para os artistas aspirantes aprenderem a lidar com críticas, ignorarem os trolls na internet e não desistirem de mostrar seu trabalho.

A TramaPor ser uma coletânea de tirinhas, o livro não tem uma trama em si que guie uma narrativa. Por outro lado, todas as tirinhas são relacionadas à vida moderna que muitos dos jovens adultos enfrentam no dia-a-dia e, por isso, faz com que muita gente se identifique com o trabalho dela - se você tiver gatos em casa, então esse é o livro perfeito para você. Temas como ansiedade, tecnologia, e auto imagem são sempre trabalhados com muita comédia nas tirinhas, o que sempre rendem uma boa risada com o humor inteligente da autora.

Resenha - Louras Zumbis

Título: Louras Zumbis
Título Original: Zombie Blondes
Livro Único.
Autor: Brian James
Editora: Galera Record
Páginas: 240
Ano: 2010
Saiba Mais: Skoob
Comprar: Amazon 

SinopseA partir do momento que Hannah Sanders chegou à cidade, ela sentiu que havia algo errado. Muitas casas estavam à venda, e a cidade parecia infectada por um silêncio sobrenatural. E então, no primeiro dia de Hannah no colégio, ela correu para um grupo de cheerleaders, as meninas mais populares da escola. O estranho era que elas eram quase idênticas na aparência: loira, bonita, e pálida. Mas Hannah quer desesperadamente se adaptar independentemente do que seu amigo Lukas está dizendo a ela. Quando seu sonho de ser uma delas começa a se tornar realidade ela vê que isso pode ser um pesadelo!

A TramaQuando Hannah se muda com o pai para uma nova cidade, ela sente que tudo ali parece morto. A maioria das casas estão vazias e as pessoas na escola são muito esquisitas. Quando ela conhece as líderes de torcida, ela sabe que precisa fazer parte dele, mesmo com todos os avisos do amigo Lukas, dizendo que aquelas meninas são do mal. É quando Hannah se envolve mais com o universo delas que ela passa a descobrir coisas que deveriam ficar muito bem escondidas.
Mesmo lendo tantas resenhas negativas a respeito desse livro, eu resolvi dar uma chance. Já tinha ele a um bom tempo na minha estante e a capa continuava a me intrigar, mesmo após anos de tê-lo adquirido. Apesar de não ser o melhor livro do mundo, ainda é uma leitura rápida e divertida. A história não foi feita para ser levada a sério, nem para mandar uma mensagem secreta e profunda para o leitor, foi tudo feito apenas para entreter, e o autor fez um bom trabalho. É uma história cheia de clichês, mas tenho certeza que ele quis assim, como um tipo de paródia dos YAs sobrenaturais que saíram na época (por volta de 2008).

Quinta das Capas #103

Look do Dia

O tema de hoje é um que eu gostei muito de pesquisar: capas somente com roupas, sem pessoas. Existem muitas capas assim por aí, e apesar de não ter encontrado tantas de edições brasileiras (que não fossem da mesma série), tem muitas capas estrangeiras com esse estilo. O Goodreads também facilita muito encontrar capas de temas específicos, já que existem as listas, onde os usuários conseguem juntar capas (ou outras características de um livro) com o mesmo tema, por isso é bem mais comum termos mais capas estrangeiras para determinados temas. Bora fazer uma seção de listas também, Skoob!

   
Começando pelas primeiras capas que passaram pela minha cabeça quando pensei no tema. A série A Irmandade das Calças Viajantes (que inspiraram aquele filme Quatro Amigas e Um Jeans Viajante, que eu adoro!) trazem em capa capa a imagem do jeans com uma cor de fundo diferente. A capa é bem simples, mas trazendo o elemento mais importante da história. Nem por isso ela deixa de ser menos feia, desculpa, daria sim pra fazer um trabalho mais bonitinho para a história. Linhas e Brilhos são da mesma série (ou duologia), e eu sempre achei as duas capas bem fofas! Talvez em Brilho haja um pouco de poluição visual, com tanta mistura de cor, mas as duas juntas formam um par bem legal - e ainda tenho vontade de ler esses livros. Tamanho 42 Não é Gorda é o primeiro de uma série da Meg Cabot, e todas as capas trazem silhuetas de roupas. Essa é da edição mais recente e, apesar de ser bem minimalista, eu gosto do dinamismo da capa e do contraste do rosa com o preto.

Resenha - Uma Coisa Absolutamente Fantástica

Título: Uma Coisa Absolutamente Fantástica
Título Original: An Absolutely Remarkable Thing
Série: Uma Coisa Absolutamente Fantástica
1- Uma Coisa Absolutamente Fantástica (2018)
2- Sem Título
Autor: Hank Green
Editora: Seguinte
Páginas: 344
Ano: 2018
Saiba Mais: Skoob
Comprar: Amazon 

SinopseEm seu aguardado livro de estreia, Hank Green traz a história original e envolvente de uma jovem que se torna uma celebridade sem querer — mas logo se vê no centro de um mistério muito maior do que poderia imaginar.
Enquanto volta para casa depois de trabalhar até de madrugada, a jovem April May esbarra numa escultura gigante. Impressionada com sua aparência — uma espécie de robô de três metros de altura —, April chama seu amigo Andy para gravar um vídeo sobre a aparição e postar no YouTube. No dia seguinte, a garota acorda e descobre que há esculturas idênticas em dezenas de cidades pelo mundo, sem que ninguém saiba como foram parar lá. Por ter sido o primeiro registro, o vídeo de April viraliza e ela se vê sob os holofotes da mídia mundial.
Agora, April terá de lidar com os impactos da fama em seus relacionamentos, em sua segurança, e em sua própria identidade. Tudo isso enquanto tenta descobrir o que são essas esculturas — e o que querem de nós.
Divertida e envolvente, essa história trata de temas muito relevantes nos dias atuais: como lidamos com o medo e o desconhecido e, principalmente, como as redes sociais estão mudando conceitos como fama, retórica e radicalização.

A TramaEu não sabia muito o que esperar quando comecei esse livro. Num geral, gosto bastante dos livros do John Green, mas não conheço muito do seu irmão, assisti pouquíssimos vídeos do canal deles (a maioria do John, admito), e talvez tivesse até um pouco de receio ao começar a leitura. Mas Uma Coisa Absolutamente Fantástica conseguiu me surpreender muito! A história é contada sob o ponto de vista de April May em um "depois", em que ela está escrevendo um livro (esse livro) para contar a história de como o Carl Nova York - a primeira estátua gigantesca a ser mostrada para o mundo - mudou sua vida completamente. Apesar de tratar de um tema bem ficção-científica, o foco do livro fica mais em mostrar como nascem as novas celebridades, a fama na internet e como isso muda a vida de uma pessoa, que passa de um ser humano comum para alguém mundialmente conhecido em questão de horas. Além disso, também nos mostra como os governos reagem a uma presença desconhecida e, provavelmente, superior, o que também gera uma divisão entre a humanidade, de pessoas a favor e contra as estátuas gigantes ao redor do mundo. No nosso momento político atual, esse livro caiu como uma luva. A que extremos as pessoas conseguem chegar para defender seu ponto de vista?

Terça do Top #116

Livros que eu nem lembrava de ter lido 

Sabe aqueles livros que nunca vêm na sua cabeça quando te pedem pra listar os livros que você já leu? Que quando você olha sua lista de livros lidos e ele aparece você fica até surpreso de já ter lido aquele livro? Esse é o tema do Top de hoje: livros que eu nem lembrava que um dia já li. Por algum motivo, esses livros não conseguiram me marcar (negativa ou positivamente), tanto que, sem olhar minha lista de livros lidos, nem conseguiria lembrar que já me aventurei em suas histórias.


Já começamos bem, já que nem lendo a sinopse ou minha própria resenha eu consigo lembrar da história desse livro. A única coisa que realmente me lembro é de ter ficado bem confusa com o porquê da editora brasileira ter dividido um livro único em três volumes por aqui ~money money money~.








Lembro de ter gostado da história de Túneis da Morte quando li. O lance das viagens no tempo através dos túmulos era bem interessante. Mas levou tanto tempo pro lançamento do segundo livro por aqui, que acabei desistindo da série e, além de tudo, esquecendo que ela sequer existia. Ops...





Resenha - Conte-me Seus Sonhos

Título: Conte-me Seus Sonhos
Título Original: Tell Me Your Dreams
Livro Único.
Autor: Sidney Sheldon
Editora: Record
Páginas: 352
Ano: 2011
Saiba Mais: Skoob
Comprar: Amazon

Eu não poderia deixar de resenhar o livro que mais me surpreendeu esse ano, não é mesmo?!

SinopseConte-me seus sonhos é considerado o mais inusitado e surpreendente romance do mestre Sidney Sheldon. Nele, Ashley Patterson - uma bela executiva que trabalha com a desinibida Toni Prescott e a sensível Alette Peters numa empresa de tecnologia no Vale do Silício - torna-se suspeita de uma série de assassinatos. O mistério aumenta quando a polícia descobre um presente que uma das vítimas enviou para sua colega de trabalho Toni Prescott. As evidências apontam uma ligação entre as três suspeitas: Ashley, Tony e Alette Peters - mas apenas uma delas conhece a verdade.

A TramaEsse livro ficou parado na minha estante por uns dois anos, e não acredito que demorei tanto tempo para pegá-lo! Ao mesmo tempo fico feliz, porque tenho certeza que não conseguiria apreciá-lo da mesma forma alguns anos atrás. A história me pegou desde o começo, e era difícil deixar o livro de lado, por isso consegui lê-lo em um dia. A história é dividida em três partes, e uma conseguiu ser mais interessante que a outra (eu não conseguia parar de pensar que estava assistindo um episódio de Law & Order SVU na segunda parte). Algumas coisas do plot principal estão um pouco erradas e exageradas, mas é um thriller, então entendo o motivo do autor ter ido um pouco além com tudo.