Resenha - Conectadas

Título: Conectadas
Autora: Clara Alves
Editora: Seguinte
Páginas: 320
Ano: 2019
Saiba mais: Skoob
Comprar: Amazon // Submarino // Saraiva 


Sinopse: 
Ser uma garota gamer não é fácil. Principalmente quando um romance está em jogo. Raíssa e Ayla se conheceram jogando Feéricos, um dos games mais populares do momento, e não se desgrudaram mais — pelo menos virtualmente. Ayla sente que, com Raíssa, finalmente pode ser ela mesma. Raíssa, por sua vez, encontra em Ayla uma conexão que nunca teve com ninguém. Só tem um “pequeno” problema: Raíssa joga com um avatar masculino, então Ayla não sabe que está conversando com outra menina. Quanto mais as duas se envolvem, mais culpa Raíssa sente. Só que ela não está pronta para se assumir — muito menos para perder a garota que ama. Então só vai levando a mentira adiante… Afinal, qual é a chance de as duas se conhecerem pessoalmente, morando em cidades diferentes? Bem alta, já que foi anunciada a primeira feira de Feéricos em São Paulo, o evento perfeito para esse encontro acontecer. Em um fim de semana repleto de cosplays, confidências e corações partidos, será que esse romance on-line conseguirá sobreviver à vida real?

A Trama Cansada de ser deixada de lado por ser uma garota gamer, Raíssa resolve criar um personagem masculino e se passar por um garoto para jogar o mais popular game do momento: Feéricos. É com esse personagem que ela conhece Ayla. Raíssa não se preocupa muito em dizer que é menina, mantendo a fachada masculina, pois acredita que não irá se encontrar com Ayla nunca. Porém, tudo muda quando o relacionamento das duas não se restringe mais apenas ao jogo e as meninas finalmente tem a chance de se conhecer pessoalmente.
Cheia de referências à cultura geek, segundo a própria autora, o livro foi feito inspirado na épocas de fakes no Orkut, então se você tem qualquer experiência com essa fase, você com certeza vai se identificar com a história de Raíssa e Ayla.

Os Personagens: Foi fácil amar muito as personagens principais e o relacionamento delas. Além disso, o livro também tem bastante representatividade, seja no sentido de que as personagens principais não são brancas, ou na quantidade de personagens LGBT+ - inclusive, tem um personagem que se identifica como assexual, de quem fico feliz de ler sobre pois geralmente é difícil de encontrar esse tipo de representatividade em narrativas jovens.

Capa, Diagramação e EscritaVou começar dizendo que a diagramação é uma graça. Gosto muito quando livros que usam tecnologia na narrativa de fato incorporam isso na diagramação e Conectadas é um ótimo exemplo disso, usando as conversas das meninas por mensagens no meio do livro. 
A escrita da autora em si é bastante fluida e rápida de ler. Por ser um romance contemporâneo jovem, eu tendo a esperar um livro gostosinho, mas Clara Alves vai além disso e traz também bastante sensibilidade para a escrita quando lida com tópicos mais pesados. Ela também tem uma certa leveza em toques de comédia quando Raíssa se enfia em algumas situações que chegam a ser cômicas, se desdobrando para fazer o relacionamento funcionar e manter a fachada que tinha criado para Ayla.

Concluindo: Esse é um livro que me lembrou bastante Geekerela e Cosplayed, dois livros que falam sobre ser nerd, encontrar alguém com quem você se identifica virtualmente e o drama de tentar transportar esse sentimento para a realidade. Sou suspeita para falar porque, além de eu assistir séries e ler muitos livros sobre esse tema, ele também faz parte da minha realidade e do meu relacionamento, então para mim fica fácil a parte de identificação. Porém, acho que vários jovens de hoje também passam por isso e é refrescante ver um olhar nacional sobre uma perspectiva que já me atrai bastante. Além disso, Clara Alves não fica na superfície e trata de temas como autoaceitação, homofobia, religiosidade e o machismo latente no mundo dos jogos digitais.