Resenha - Todas as Coisas Que Eu Já Fiz


Resenha feita pela Luh
Título: Todas as Coisas Que Eu Já Fiz

Título Original: All These Thing I've Done
Série: Birthright (#1)

Autora: Gabrielle Zevin
Editora: Rocco
Páginas: 384
Ano: 2012
Saiba mais: Skoob
Comprar: Submarino // Saraiva

Eu comecei a ler este livro esperando uma distopia cheia de ação e revoluções e me surpreendi ao encontrar uma história tocante com uma protagonista maravilhosa.
Aviso: Se você pretende ler este livro um dia, não leia aquela sinopse gigante que aparece no skoob, ela conta 2/3 da história do livro! (Minha sinopse não tem spoilers)

Sinopse:  Autora do elogiado Em Outro Lugar, traduzido em 20 países, Gabrielle Zevin envereda pelo segmento da distopia – em alta por conta do sucesso Jogos Vorazes – em Todas as Coisas Que Eu Já Fiz, primeiro volume da trilogia Birthright. Reconhecida por tratar de temas instigantes com uma prosa leve, bem-humorada e irônica, a autora conta a história de um amor impossível entre dois jovens numa Nova York do futuro, empobrecida e perigosa, onde chocolate e café são ilegais, papel é algo raro e a água é rigorosamente racionada. O romance foi eleito o melhor livro juvenil de 2011 pelo site BookPage. 

A Trama: Vou começar avisando algumas coisas sobre o livro para que você não seja pego de surpresa como eu fui. Eu acredito que Todas as Coisas tenha sido descrito como um distópico para aproveitar a "moda", porque para mim o mundo criado por Gabrielle é apenas futurista, mas ainda assim muito legal. E se você está esperando algum tipo de revolução ou uma história que envolva a comunidade, esqueça, Todas as Coisas é mais um drama familiar, onde a família faz parte da máfia. Agora, tendo dito estas coisas, eu adorei o livro.
A trama é um pouquinho previsível em algumas partes, mas me pegou completamente de surpresa em outras. O ritmo é um pouco devagar, o que eu gostei porque tive tempo de me conectar com os personagens e entender exatamente o que estava acontecendo. O final foi bastante inesperado e me deixou muito curiosa pelo segundo volume da trilogia. Minha única reclamação, eu acredito, é que a sociedade não foi muito bem explorada e algumas coisas, como a proibição do chocolate, não faziam muito sentido para mim.

Os Protagonistas: Minha parte predileta do livro foi Anya. Eu me esquecia o tempo inteiro que ela só tinha 16 anos, porque a maturidade da garota era inacreditável, mas acho que é isso que acontece quando você perde os pais e precisa cuidar do resto da família. Anya é uma garota muito forte e decidida, mas sem ser teimosa ou mimada. Ela parece não ter um minuto de descanso enquanto tenta cuidar dos dois irmãos, frequentar a escola, manter a casa e ainda lidar com o resto de sua família. O único problema que a protagonista não tem é com dinheiro, pois seu pai deixou a ela uma pequena fortuna, obviamente adquirida através de negócios ilegais.
Anya passa por situações quase impossíveis para tentar proteger sua família do resto do mundo e, por ter uma postura tão forte o tempo todo, eu me emocionava bastante quando a garota deixava seu lado vulnerável aparecer. Eu gostei muito da personagem e foi ela que tornou minha leitura tão prazerosa.

Os Personagens Secundários: Os outros personagens do livro não me decepcionaram. Leo e Natty, os irmãos da protagonista, eram cativantes e me fizeram torcer muito por eles. Win era um pouco enigmático no início, mas conseguiu me conquistar com seu carisma e lealdade. O único personagem que não me agradou tanto foi Scarlet, a melhor amiga de Anya, que era um pouquinho irritante, mas por sorte ela não aparece tanto no livro.

Capa, Diagramação e Escrita: Essa capa é tão bonita! Ela é simples, mas é um daqueles casos em que 'menos é mais'. Eu só entendi mesmo a capa quando terminei o livro, mas agora eu a adoro! A diagramação do livro é simples, mas bonitinha e eu adorei os nomes dos capítulos. O livro é todo em 1ª pessoa, da visão da Anya, e a Gabrielle escreve muito bem, pretendo ler outros livros dela .

Concluindo: Todas as Coisas Que Eu Já Fiz é um livro tocante que foca na vida de Anya e em todos os problemas que ela tem que enfrentar. O livro tem sim um pouco de ação e muito romance, mas o foco principal é a família da protagonista e eu adorei cada página.

Quotes:
"Por quanto tempo eu vou ficar aqui?" Eu perguntei.
"Varia," disse o guarda enquanto fechava a porta e me trancava lá dentro. "Geralmente até a Sra. Cobrawick acreditar que você aprendeu a lição. Eu odeio esse trabalho. Tente não perder a cabeça, garota."
Aquelas foram as últimas palavras que eu ouvi em um bom tempo.

O guarda havia me dado um bom conselho, mas foi praticamente impossível segui-lo.
Meu belo Win. Eu queria beijar todas as partes quebradas dele, mas sua mãe e meu advogado estavam lá. Então, ao invés, eu comecei a chorar.
Classificação:
Quer escolher a próxima resenha? É só clicar lá em cima em "Resenhas" e escolher um dos livros da lista!