Resenha - A Guardiã de Histórias

Resenha feita pela 
Título: A Guardiã de Histórias
Título Original: The Archived
Série: 
The Archived
1 - A Guardiã de Histórias (2016)
2 - The Unbound (2014 US)
2.5 - Leave The Window Open (2015 US)
3 - The Returned (ainda não lançado) 
Autora: Victoria Schwab

Editora: Bertrand Brasil
Páginas: 320
Saiba mais: Skoob
Comprar: Saraiva // Amazon // Submarino 

Sinopse: Imagine um lugar onde, como livros, os mortos repousam em prateleiras. Cada corpo tem uma história para contar, uma vida disposta em imagens que apenas os Bibliotecários podem ler. Aqui, os mortos são chamados de Histórias, e o vasto domínio em que eles descansam é o Arquivo. Mackenzie Bishop é uma implacável Guardiã, cuja tarefa é impedir Histórias geralmente violentas de acordar e fugir do Arquivo. Naqueles domínios, os mortos jamais devem ser perturbados, mas alguém parece estar, deliberadamente, alterando Histórias e apagando seus trechos essenciais. A menos que Mac consiga juntar as peças restantes, o próprio Arquivo sofrerá as consequências.

A Trama: História, nesse livro, é o nome dado ao que se tornam as pessoas depois de mortas, mantidas em corpo, matéria, não apenas em alma. Guardiã, é a função de Mackenzie, que leva essas Histórias para o Arquivo, local onde elas ficam arquivadas em gavetas tendo o descanso eterno. No entanto, a situação no Arquivo anda bem agitada e Mac anda tendo bem mais trabalho ultimamente, enquanto lida com sua mudança para uma nova residência e ainda sofre pela morte do irmão mais novo.
O começo do livro é lento e demorou pra me pegar. A protagonista passa muito tempo falando sobre sua família e reclamando de tudo até a ação começar, mas quando começa, a trama dá um ótimo avanço. O mistério é fácil de ser decifrado, mas o desenrolar do livro enquanto as peças vão se juntando prende a atenção do leitor na tentativa de decifrar assassinatos sem explicação e Histórias fugindo dos Arquivos.

A ProtagonistaMackenzie tem problemas de relacionamento com os pais desde a morte trágica e repentina de seu irmão, pois cada um resolveu lidar com a perda de uma forma distinta. O fato dela não poder contar sobre sua identidade de Guardiã para ninguém do mundo Externo também não ajuda para melhorar sua vida em casa, já que ela tem que omitir a verdade sobre o que faz nas suas saídas repentinas. Mac é bem... mediana. Há momentos em que ela me irrita por não perceber coisas óbvias, mas acredito que as coisas vividas e aprendidas por ela nesse livro a tornem mais esperta no próximo.

Personagens Secundários: Mackenzie diz que seus pais se tornaram mais frios e distantes dela depois da morte de seu irmão Ben, mas o momento pelo qual a família passa se mudando para o hotel residencial Coronado trás renovação dos laços afetivos e dá a impressão de que em vez ocorrer o que ela diz, na verdade Mac é que vive mais afastada dos pais, fugindo de momentos mais "família", para lidar com seus problemas sozinha ou no Arquivo. Roland é Bibliotecário nos Arquivos e protetor e parceiro de Mac desde a primeira vez que ela pôs os pés lá, aos 12 anos, nova demais para já se tornar guardiã, mas Antony, seu avô precisava designar alguém para o seu lugar antes de falecer. Wesley Ayers é primo de uma vizinha de Mackenzie no Coronado e a conexão entre os dois se dá a primeira vista, já que Wes também é guardião e os dois tem um com o outro uma amizade que não haviam encontrado anteriormente, pois compartilham do mesmo segredo e podem se abrir um com o outro.

Capa, Diagramação e EscritaTem como não gostar dessa capa? Achei ela linda na ilustração, na fonte e nas cores. Pode não ser das que chamam mais atenção na estante, mas amei. Já vi esse livro e a autora sendo elogiados diversas vezes pela internet e isso foi o que me deixou curiosa e com expectativas para leitura, mas gostaria de ter lido sem essas expectativas todas. Como já disse, o livro demorou para engrenar e lá pela página 100 foi que ficou interessante, pois foi quando deu pra compreender todo sistema do Arquivo, Histórias, Retorno, Estreito, Bibliotecários, Guardiões e etc, e acho que a autora errou nisso, em enrolar tanto nas primeiras páginas, mas o final do livro é muito interessante e a leitura vale a pena.

Concluindo: É um livro bom, mas pode deixar entediado quem não gosta muito de Young Adults. A protagonista tem 16 anos e o livro parece direcionado para o público em torno dessa faixa etária. O mais legal é que terminei a leitura ansiosa pelo próximo livro, não apenas para saber como a história de desenrolará dali adiante, mas por saudades dos personagens que acabam cativando e crescendo nas ultimas páginas.
                                 Classificação:
  
Classificação:
Classificação: