Resenha - O Crime do Vencedor

Título: O Crime do Vencedor
Título Original: The Winner's Crime
Série: Trilogia do Vencedor
1 - A Maldição do Vencedor (2016)
2 - O Crime do Vencedor (2016)
3 - O Beijo do Vencedor (2017)
Autora: Marie Rutkoski
Editora: Plataforma21
Páginas: 360
Saiba mais: Skoob
Comprar: Amazon // Submarino // Extra

Amei ou amei?
Aviso: Essa resenha não contém spoilers dos livros anteriores, exceto na sinopse.

Sinopse: Existe a tentação e existe a coisa certa a se fazer. E está cada vez mais difícil para Kestrel fazer a melhor escolha.
Um noivado imperial significa uma celebração após a outra: cafés da manhã com cortesãos e dignatários influentes, bailes, fogos de artifício e festas até o amanhecer. Para Kestrel, porém, significa viver numa gaiola forjada por ela mesma. Com a aproximação do casamento, ela deseja confessar a Arin, seu ex-escravo e atual governador de Harren: só aceitou se casar com o príncipe herdeiro do império em troca da liberdade dele, Arin. Mas será que Kestrel pode confiar nele? Ou, pior: será que pode confiar em si mesma?
No jogo do poder, Kestrel está se tornando perita em blefes. Age como uma espiã na corte. Se for pega, será desmascarada como traidora de seu próprio império. Ainda assim, ela não consegue deixar de buscar uma forma de mudar seu terrível mundo... e está muito perto de descobrir um segredo tenebroso.

A Trama: Enquanto eu devorei A Maldição do Vencedor em um só dia, quis apreciar melhor a trama no segundo livro e fui lendo aos poucos. Talvez por isso, a trama pareceu enorme, digna de um livro de 500 páginas, e não sei como a autora conseguiu fazer tantas coisas importantes acontecerem em tão pouco espaço, mas adorei cada segundo.
A série foca desde o início na intriga política, porém nesse livro é tudo levado a um novo nível, com verdadeiras batalhas entre povos inteiros, e muitas situações em que o destino de uma nação completa era alterado por alguma decisão. O romance acaba ficando um pouco em segundo plano, porém foi uma escolha perfeita da autora, já que a trama consegue suprir a nossa necessidade para romance, porém acrescentando uma intriga política digna de prêmio.

Os Protagonistas: Eu gostei de Kestrel desde o início. Porém, tive a impressão de que no primeiro livro ela era um pouquinho "protegida" demais, e em O Crime do Vencedor a protagonista finalmente teve a oportunidade de demonstrar sua força.
Kestrel continua sendo amável e muito inteligente, apesar de ainda ter mais a aprender. Mesmo assim, a protagonista consegue rapidamente cativar diversos dos outros personagens com sua compaixão e coragem.
Arin teve muito mais espaço nesse livro e, talvez por ter perdido parte da sua aura de mistério, perdeu seu posto de melhor personagem do livro por ser teimoso de uma maneira absurda. Ainda assim, continuo gostando da intensidade do personagem e de sua habilidade de liderança.

Os Personagens Secundários: Dois personagens novos me conquistaram logo de cara: o imperador e seu filho. O imperador é aquele tipo de pessoa que, por mais que você saiba que não presta, não consegue deixar de admirar por conta da inteligência. Era como se ele realmente estivesse sempre três passos a frente dos outros. Vexen me conquistou de uma maneira totalmente diferente, com sua fofura escondida.

Capa, Diagramação e Escrita: Não há dúvidas que essas capas são magníficas. Só não entendi muito bem a pose da modelo segurando essa adaga (espadinha?), mas ainda assim está linda.
Quanto à escrita da Marie, já tinha dito anteriormente que amo e continuo adorando. Os diálogos dela são brilhantes e eu poderia fazer uma seção inteira aqui só para explicar a maravilha que são os monólogos internos dos personagens dessa série.

Concluindo: O livro definitivamente conseguiu superar minhas expectativas, que já estavam altas, então realmente sugiro que você adicione ele agora mesmo na sua lista, se já não tinha feito isso antes.