Resenha - O Oceano no Fim do Caminho


Resenha feita pela Luh!
Título: O Oceano no Fim do Caminho
Título Original: The Ocean at the End of the Lane
Livro Único.
Autor: Neil Gaiman
Editora: Intrínseca
Páginas: 208
Ano: 2013
Saiba mais: Skoob
Comprar: Saraiva // Extra // Submarino // Fnac

Diferente e encantador. Agora eu entendo porque as pessoas falam sobre a genialidade de Neil Gaiman.

Sinopse: Foi há quarenta anos, agora ele lembra muito bem. Quando os tempos ficaram difíceis e os pais decidiram que o quarto do alto da escada, que antes era dele, passaria a receber hóspedes. Ele só tinha sete anos. Um dos inquilinos foi o minerador de opala. O homem que certa noite roubou o carro da família e, ali dentro, parado num caminho deserto, cometeu suicídio. O homem cujo ato desesperado despertou forças que jamais deveriam ter sido perturbadas. Forças que não são deste mundo. Um horror primordial, sem controle, que foi libertado e passou a tomar os sonhos e a realidade das pessoas, inclusive os do menino.
Ele sabia que os adultos não conseguiriam — e não deveriam — compreender os eventos que se desdobravam tão perto de casa. Sua família, ingenuamente envolvida e usada na batalha, estava em perigo, e somente o menino era capaz de perceber isso. A responsabilidade inescapável de defender seus entes queridos fez com que ele recorresse à única salvação possível: as três mulheres que moravam no fim do caminho. O lugar onde ele viu seu primeiro oceano.

A Trama:  A verdade é que o livro tem alguns defeitos, mas também tem certos trechos que parecem mágicos e te fazem sonhar e refletir e eu adorei. Não vou dar detalhes sobre a trama, porque não quero estragar o prazer de descobrir tudo aos pouquinhos.
Achei o início do livro bem confuso e estava demorando para me acostumar ao estilo de Gaiman, mas agora, relendo o prólogo, ele faz todo o sentido, se encaixa perfeitamente, porém você só descobre isso ao terminar o livro. O Oceano no Fim do Caminho aborda temas interessantes como a visão que as crianças tem do mundo, que é muito diferente da visão dos adultos. Há muita fantasia, do tipo que encanta e do que assusta e é uma fantasia muito criativa e interessante.
O livro tem alguns trechos peculiares que eu achei meio estranhos mesmo, mas suponho que seja uma característica do autor e os fãs dele vão adorar. O final tem umas revelações geniais e foi a melhor parte do livro, além de o futuro do protagonista ter ficado em aberto, você nunca descobre o que realmente acontece. O Oceano no Fim do Caminho é bem pequeno, cerca de 200 páginas, e consegui perceber isso em certos trechos que pareceram apressados.
Dizem que esse é um livro adulto do Neil, mas eu não acho. Me pareceu muito mais um infanto-juvenil, principalmente considerando que o protagonista fala sobre o que aconteceu quando tinha sete anos.

O Protagonista: Me identifiquei quase instantaneamente com o protagonista, um menino que gosta de ler, adora animais fofos (como gatinhos) e teve uma festinha de aniversário que ninguém foi. Curioso, esforçado e um pouco medroso (afinal, ainda era uma criança), ele era um garoto diferente e muito esperto para alguém de sete anos, mas às vezes mostrava o quanto ainda era imaturo.

Os Personagens Secundários: Lettie me intrigou do início ao fim. Confiante, protetora e misteriosa, eu passei o livro todo tentando compreender suas frases enigmáticas, mas adorei a personagem. As outras duas mulheres Hempstock também eram todas personagens interessantes, apesar de eu não ter gostado muito da mãe de Lettie. Os pais do protagonista me pareceram meio irrealistas, nenhum deles mimava os filhos ou demonstrava muito amor por eles, além de deixá-los sozinhos com estranhos.

Capa, Diagramação e Escrita: Acho que meus sentimentos pela capa são os mesmos que pelo livro. Olhando de relance, ela não parece ter nada especial, mas se paro para prestar atenção nos detalhes, ela tem algo que me prende e não sei explicar o que é. Adorei a imagem escolhida e o título não poderia ser mais perfeito!
Tive problemas com a diagramação. Havia alguns erros de revisão, mas nada demais, o que me incomodou foi a fonte da letra, que achei minúscula. Realmente não entendi essa decisão da editora, já que o livro é pequeno e poderia muito bem ter umas páginas a mais.
O livro é narrado por um adulto lembrando de eventos que aconteceram quando tinha apenas sete anos. A escrita do Neil é diferente e ainda não consegui me acostumar completamente com ela. Eu gostei, mas vou confessar que, se os outros livros dele também forem assim, não acho que ele se tornará um de meus autores prediletos em um futuro próximo.

Concluindo: Uma trama que pode parecer meio superficial no início, mas me fez refletir e conseguiu me prender. O livro tem sim alguns defeitos, mas tem qualidades raras e especiais que fazem a história valer a pena. Definitivamente recomendo, mas também não foi 'o melhor livro do ano'.

Quotes:
Eu adorava mitos. Não eram histórias para adultos e não eram histórias para crianças. Eram melhores que isso. Simplesmente eram.
As histórias para adultos nunca faziam sentido, e a ação nelas demorava muito a acontecer. Elas me davam a sensação de que havia segredos, segredos maçônicos, míticos, envolvendo a idade adulta. Porque os adultos não queriam ler sobre Nárnia, ilhas misteriosas, contrabandistas e fadas traiçoeiras?
Classificação: