Resenha - O Doador de Memórias

Resenha feita pela Luh!
Título: O Doador de Memórias
Título Original: The Giver
Série: O Doador
1- O Doador de Memórias (2014) (1ª ed. 2009)
2- A Escolhida (2014)
3- Messenger (2004 US)
4- Son (2012 US)
Autora: Lois Lowry
Editora: Arqueiro
Páginas: 194
Saiba mais: Skoob
Comprar: Saraiva // Submarino // Fnac

Me surpreendeu muito da melhor maneira.
Ps: Não recomendo ler a sinopse, que é cheia de spoilers.


Sinopse: Ganhadora de vários prêmios, Lois Lowry constrói um mundo aparentemente ideal onde não existe dor, desigualdade, guerra nem qualquer tipo de conflito. Por outro lado, também não existe amor, desejo ou alegria genuína. Os habitantes da pequena comunidade, satisfeitos com suas vidas ordenadas, pacatas e estáveis, conhecem apenas o agora - o passado e todas as lembranças do antigo mundo foram apagados de suas mentes.
Uma única pessoa é encarregada de ser o guardião dessas memórias, com o objetivo de proteger o povo do sofrimento e, ao mesmo tempo, ter a sabedoria necessária para orientar os dirigentes da sociedade em momentos difíceis. Aos 12 anos, idade em que toda criança é designada à profissão que irá seguir, Jonas recebe a honra de se tornar o próximo guardião. Ele é avisado de que precisará passar por um treinamento difícil, que exigirá coragem, disciplina e muita força, mas não faz ideia de que seu mundo nunca mais será o mesmo.
Orientado pelo velho Doador, Jonas descobre pouco a pouco o universo extraordinário que lhe fora roubado. Como uma névoa que vai se dissipando, a terrível realidade por trás daquela utopia começa a se revelar.

A Trama: Li O Doador de Memórias sem fazer ideia de qual seria a trama, e recomendo a todos que façam o mesmo, pois a surpresa é muito melhor. Nesse livro vemos um pouco de um mundo "perfeito" pelos olhos de um menino de 12 anos que não conhece dor, solidão, amor ou felicidade verdadeira. Sua comunidade se livrou de tudo o que fosse intenso demais, a fim de evitar quaisquer conflitos e problemas. Jonas acredita que é feliz, até que tem a oportunidade de conhecer sentimentos reais, e sua visão do mundo se altera completamente.
Esse livro definitivamente fará o leitor refletir sobre o que vale a pena. Se a dor compensa os sentimentos felizes, se fazer escolhas erradas é bom simplesmente por ter escolhas para fazer. Gostei muito da maneira como o autor traz essa sutil reflexão, porém gostaria que o início do livro tivesse sido muito maior, pois o mundo onde o protagonista vive não é descrito em muitos detalhes, o que torna a compreensão um pouco difícil. Além disso, é preciso ter uma mente aberta, pois o livro trata as memórias como algo abstrato que pode ser passado de pessoa para pessoa, e não traz nenhum tipo de explicação para tal.

O Protagonista: Jonas é um garoto que vai se revelando aos poucos. Eu já gostei dele desde o início, e não teria me importado se a trama seguisse um rumo previsível e simplesmente contasse a história do garoto, porém o autor foi muito além disso. O protagonista foi muito bem utilizado, despertando os mais diversos sentimentos, e gostei muito de suas escolhas.

Os Personagens SecundáriosNão chegamos a conhecer Rosemary, mas ela foi uma de minhas personagens prediletas por sua coragem. De certa forma, eu sentia pena dos pais de Jonas e das outras pessoas que existiam sem realmente viver, porém ainda gostei bastante deles.

Capa, Diagramação e Escrita: Nem sempre gosto de capas de filmes, e esse é um exemplo de uma que não ficou tão legal. Ela só tem os atores, sem nada demais, e fica difícil tentar descobrir de que gênero é o livro. A diagramação interna é ótima e não encontrei erros de revisão.
Gostei bastante da escrita da Lois Lowry, porém ela poderia ter descrito um pouco melhor as cenas, faltaram muitos detalhes importantes. Ainda assim, ela conseguiu criar algo incrível, principalmente em relação aos sentimentos.

Concluindo: O que mais me incomodou foi o final, que é aberto e não tem realmente uma conclusão. Dizem que há outros três livros na série, porém pelo que entendi eles não acompanham Jonas e já vi críticas de que não valem muito a pena (mas ainda pretendo conferir). O livro tem seus defeitos, e talvez eu não tivesse gostado muito se fosse "só uma distopia", porém ele vai muito além disso e é uma daquelas histórias que tem algo "a mais", então recomendo a todos que leiam e tirem suas próprias reflexões.

Classificação: