Resenha - O Ceifador

Título: O Ceifador
Título Original: Scythe
Série: Scythe
1 - O Ceifador (2017)
Autor: Neal Shusterman
Editora: Seguinte
Páginas: 448
Saiba mais: Skoob
Comprar: Amazon // Submarino // Americanas

Absolutamente incrível.

Sinopse: Primeiro mandamento: matarás.
A humanidade venceu todas as barreiras: fome, doenças, guerras, miséria... Até mesmo a morte. Agora os ceifadores são os únicos que podem pôr fim a uma vida, impedindo que o crescimento populacional vá além do limite e a Terra deixe de comportar a população por toda a eternidade. Citra e Rowan são adolescentes escolhidos como aprendizes de ceifador - papel que nenhum dos dois quer desempenhar. Para receberem o anel e o manto da Ceifa, os adolescentes precisam dominar a arte da coleta, ou seja, precisam aprender a matar. Porém, se falharem em sua missão ou se a cumplicidade no treinamento se tornar algo mais, podem colocar a própria vida em risco.



A Trama: Gostei tanto da trama que devorei todas as suas 450 páginas em um dia! O Ceifador tem uma trama extremamente envolvente, com personagens carismáticos e um mundo diferente, porém ainda assim realista.
Em um mundo utópico onde quase não há morte ou crimes e a humanidade é comandada pela Nimbo-Cúmulo, uma inteligência artificial que vê tudo e sabe tudo, a Ceifa foi uma organização criada com o dever de cuidadosamente "coletar" (matar) alguns indivíduos para controlar o aumento populacional.
Apesar de os protagonistas, Citra e Rowan, não terem escolhido fazer parte da Ceita, eles logo se encontram no meio de muitas tramas políticas e perigos que provam que não se pode mudar todos os seres humanos. O treinamento dos jovens é extremamente interessante e o autor vai explicando o mundo aos pouquinhos, conforme a trama avança.
Eu me senti entretida do início ao fim e honestamente não esperava nenhuma das reviravoltas que aconteceu, então esse livro praticamente não teve defeitos.

Os Protagonistas: Citra e Rowan são pessoas muito diferentes. Ambos ainda são adolescentes, porém Citra é uma garota com uma família amorosa, com um forte senso de dever e parece uma daquelas pessoas que você sabe que terá uma boa vida. A protagonista demonstra sua coragem de diversas formas e gostei de sua honestidade e da maturidade que se desenvolveu rapidamente.
Adorei a maneira como Rowan conseguiu transformar sua teimosia em uma de suas maiores qualidades, e na leve confiança que ele demonstra sobre o mundo. É o tipo de pessoa capaz de quebrar a cara diversas vezes e ainda assim acreditar no melhor, mas não de uma maneira ingênua. Ainda, Rowan é provavelmente o personagem que mais muda ao longo da trama, porém o autor conseguiu manter sua essência.

Os Personagens SecundáriosOs ceifadores são incríveis! Alguns ainda nem completaram 25 anos, enquanto outros já passaram de 200. A maioria, entretanto, demonstra uma sabedoria que vem com a árdua profissão de tirar vidas. Faraday, o mentor dos protagonistas, é extremamente astuto e cria ensinamentos que conseguem ser, ao mesmo tempo, brilhantes e enfurecedores.

Capa, Diagramação e Escrita: Estou apaixonada por essa capa! Ela pode ter poucas cores, porém elas harmonizam muito bem e a imagem, além de combinar com a trama, consegue chamar a atenção de longe.
A diagramação interna é muito gostosa de ler e intercala capítulos do ponto de vista do protagonistas com trechos de diários dos ceifadores. É claro que a escrita de Neil, sendo um autor já experiente, não deixa a desejar. Cada protagonista tem uma voz única, as descrições são interessantes e os capítulos, apesar de um pouquinho longos, parecem passar voando. 


Concluindo: É um livro que você realmente pode ler de uma só vez, sem se cansar. Pelo contrário, vai ficar desejando mais. Eu me interessei muito pelo mundo distópico original, pela organização dos ceifadores e pelas intrigas políticas. Mal posso esperar pelo próximo livro, que promete ser ainda melhor, mas um ponto forte de O Ceifador é que ele tem um fim completo e pode ser lido como um livro único se você desejar.