Resenha - Fiquei Com o Seu Número

Resenha feita pela May!  
Título: Fiquei Com o Seu Número
Título Original: I've Got Your Number
Livro Único
Autor: Sophie Kinsella
Editora: Record
Páginas: 464
Ano: 2012
Saiba mais: Skoob
Comprar: Submarino // Saraiva // Extra // Ponto Frio

Pra quem curte chick-lit: LEIA AGORA!

Sinopse: A jovem Poppy Wyatt está prestes a se casar com o homem perfeito e não podia estar mais feliz... Até que, numa bela tarde, ela não só perde o anel de noivado (que está na família do noivo há três gerações) como também seu celular. Mas ela acaba encontrando um telefone abandonado no hotel em que está hospedada. Perfeito! Agora os funcionários podem ligar para ela quando encontrarem seu anel. Quem não gosta nada da história é o dono do celular, o executivo Sam Roxton, que não suporta a ideia de haver alguém bisbilhotando suas mensagens e sua vida pessoal. Mas, depois de alguns torpedos, Poppy e Sam acabam ficando cada vez mais próximos e ela percebe que a maior surpresa de sua vida ainda está por vir.  

A Trama: Como se não bastasse ter perdido o anel de noivado, que está há anos na família do noivo, Poppy teve seu celular roubado! Quando ela encontra um celular no lixo, não pensa duas vezes. Ela precisa de um, estava no lixo... Por que não ficar com ele? Achado não é roubado!
O problema é que Sam, chefe da garota que resolveu se tornar modelo durante o horário de almoço e jogou o aparelho no lixo, agora quer o telefone de volta. Mas então Poppy tem uma brilhante ideia: por que não dividir o aparelho até que seu anel seja encontrado? E, a partir daí, é chick-lit, todo mundo sabe o que vai acontecer (mas isso não quer dizer que não seja ótimo, ok?)!

A Protagonista: Poppy é boazinha demaaais! Do tipo de gente que abaixa a cabeça pra tudo e foge de conflitos, assumindo a culpa quase sempre. Mas é cativante pra caramba, admito. E, depois de conhecer Sam, os dois se tornam uma dupla que rende bons momentos.

Os Personagens Secundários: Sam é um executivo bem-sucedido, sério e muito fiel aos seus princípios. Mas tem seus momentos, por exemplo, quando ajuda Poppy a roubar nas palavras cruzadas. Enfim, mesmo o cara sendo todo certinho (maria bad boy falando), me conquistou. 
Magnus é filhinho de papai e nerd. Fiquei pasma com a maneira de a autora conseguir unir esses dois opostos no mesmo personagem! Enfim, como diz Sam, o cara é um cabeçudo. E, é claro que não fui com a cara dele, já deu pra perceber (parcialidade quase nada). 

Capa, Diagramação e Escrita: A capa é muito fofa, e essa cor é super gostosa de ficar olhando (eu sei, é estranho, mas é). A diagramação é bem simples, sem enfeites e tal. A folha segue o padrão da Record e é aquela mais grossinha, que você lê 10 páginas e parecem 100, sabe? Adoro.
A escrita é de Sophie Kinsella, ou seja, ótima. Quem narra a história é Poppy, e isso me fez gostar ainda mais do livro (principalmente nos momentos em que ela fala consigo mesma).

Concluindo: Não sei se foi o fato de eu ter passado muito tempo sem ler chick-lit, mas achei o livro sensacional! Eu cheguei a chorar de rir em alguns momentos! Superou todos os outros que li da autora e se tornou um de meus favoritos. Minha vontade é obrigar qualquer um que goste desse tipo de livros a lê-lo. 
Só um porém: eu estou até agora tentando entender se a Magnum patrocina a Sophie. Não entendi o merchan do Magnum de chocolate branco no meio do livro. 
Enfim, fora isso, leiam! É diversão na certa. E por mais que seja previsível e tal, surpreende um pouco, de uma forma muito engraçada. Só sinto que seja um livro único, depois de Becky fiquei mal acostumada. Quero continuação. :(

P.S.: Depois de dois livros com romances que surgem pelo celular (A vez da minha vida é o outro), estou pensando seriamente em mandar SMS para números aleatórios para ver se aparece um deus grego na minha vida (haha).

Quotes:
Se está numa lata de lixo, é propriedade pública.

Sei que as coisas ainda são incertas; sei que a realidade não desapareceu. Sempre vai haver explicações e recriminações e confusão.
Classificação: