Resenha - Se Vivêssemos em um Lugar Normal

Resenha feita pela Luh!
Título: Se Vivêssemos em um Lugar Normal
Título Original: Si viviéramos en un lugar normal
Livro Único
Autor: Juan Pablo Villalobos
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 192
Saiba mais: Skoob
Comprar: Amazon // Submarino // Americanas // Extra

Queria ter gostado, mas não foi dessa vez.


Sinopse: Se Vivêssemos Em Um Lugar Normal - Nos anos 1980, em uma pequena cidade no México, onde há 'mais vacas que pessoas e mais padres que vacas', uma família pobre tenta sobreviver às intempéries do cotidiano. O pai é um professor de educação cívica, apaixonado pelo período helênico e mestre em propagar todo tipo de insulto. A mãe, uma mulher de inigualável tendência cênica, mais afeita ao melodrama, que se encarrega de preparar, todo santo dia, a mesma refeição à base de quesadillas. É essa comida típica mexicana, aliás, que desperta na prole - sete filhos no total - certos pensamentos impróprios - cada um deseja que o outro desapareça, para que sobre um pouco mais de comida na mesa. Na iminência de ver a pequena casa em que moram ser demolida pela chegada de um empreendimento imobiliário de alto padrão, cada membro da família cria subterfúgios, muitas vezes delirantes, para lidar com uma realidade cada vez mais opressiva. É nesse cenário que se dá a saga de Orestes, um dos filhos do casal, e protagonista deste romance que conta, sob um ponto de vista que oscila entre o adolescente entediado e o adulto raivoso, a sua percepção da luta de classes e do papel insignificante que sua família ocupa no mundo.

A Trama: Para ser sincera, não faço ideia de como explicar esse livro. Talvez começar afirmando que ele não é para todo mundo, mas muitas pessoas vão adorar. Se Vivêssemos em um Lugar Normal traz uma crítica à sociedade no México e é uma mistura de fantasia e realidade, mencionando desde política, a diferença entre os pobres e ricos e a dinâmica de uma família grande, até aliens e controles mágicos. É uma sátira muito inteligente, porém o final foi apressado e, pra ser sincera, um pouco ridículo demais. Na minha opinião, o livro inteiro foi escrito meio que como uma piada, porém não funcionou.

O Protagonista: Orestes tem seis irmãos e, por isso, aprende desde cedo a comer sempre que possível, cuidar do que é seu e aproveitar as oportunidades que surgem. Porém, a rivalidade com os irmãos torna o garoto realmente egoísta e apesar de eu conseguir compreender seu ódio pela pequena casa onde vive, não gostei nem um pouco dessa característica do protagonista.

Os Personagens SecundáriosNão consegui gostar de nenhum dos personagens. O pai de Orestes se considera  um revolucionário, porém é daqueles que só sabem reclamar, a mãe do garoto parece só existir para cozinhar para os filhos. Os vizinhos poloneses são desinteressantes e os irmãos do protagonista parecem outras versões do mesmo. Acredito que faltou personalidade.

Capa, Diagramação e Escrita: A capa é a melhor parte do livro. Adoro a cor forte, a ilustração e o título. A diagramação também está ótima, o meu problema mesmo com o livro foi a trama. A escrita do Juan parece interessante no início, com uma linguagem bem realista, repleta de palavrões e etc, porém ela se torna cansativa aos poucos - o que é raro em um livro tão pequeno.

Concluindo: Como já falei, não é um livro para todos, e definitivamente não foi certo pra mim. Entretanto, reconheço que a história tem potencial e talvez alguns leitores adorem a crítica e fantasia misturadas à realidade.

Classificação: