Resenha - Um Dia de Cada Vez

Resenha feita pela Maay!
Título: Um Dia de Cada Vez
Título Original: Faking Normal
Série: Faking Normal
0.5- The Blue-Haired Boy
1- Um Dia de Cada Vez (2014)

Autora: Courtney C. Stevens
Editora: Suma de Letras 
Páginas: 232
Ano: 2014
Saiba mais: Skoob
Comprar: Extra // Fnac // Submarino // Saraiva

Sinopse: Alexi Littrell era uma adolescente normal até que, em uma noite de verão, sua vida é devastada. Envergonhada, a menina começa a se arranhar e a contar compulsivamente uma tentativa de fazer a dor física se sobrepor ao sofrimento que passou a esconder de todos. Ela só consegue sobreviver ao terceiro ano do ensino médio graças às letras de música que um desconhecido escreve em sua carteira. As canções parecem adivinhar o que o coração de Alexi está sentindo.
Bodee Lennox nunca foi um adolescente normal, mas agora é o menino que teve a mãe assassinada pelo pai. Em seguida, ele vai morar com os Littrell, e Alexi acaba descobrindo que o Garoto Ki-Suco, o quieto e desajeitado menino de cabelos coloridos, pode ser um ótimo amigo.
Em Um dia de cada vez, Alexi e Bodee, ao mesmo tempo em que fingem para o resto do mundo que está tudo bem, passam a apoiar um ao outro, tentando viver um dia de cada vez.

A Trama:  O livro conta a história de Alexi e Bodee, dois típicos personagens de sick-lit: jovens destruídos que encontram amparo um no outro.
Durante toda a leitura, porém, senti que faltava alguma coisa que não conseguia identificar. Só ao final, já nos agradecimentos, é que entendi o que era: faltou distanciamento. Quando a autora diz que passou pelos mesmos traumas de Alexi, tudo fez mais sentido. E, honestamente, se eu tivesse essa informação antes de iniciar a leitura, teria aproveitado muito mais.

A Protagonista: Alexi é uma personagem complicada, que não conseguiu me conquistar completamente. Não sei, eu entendo o sofrimento da garota e tal, mas sabe quando a personagem não te ganha? Ela me convenceu, mas não corcordei muito com algumas de suas atitudes, que não conziam muito com as outras. Sei lá, foi complicado (deu pra perceber, né? haha).
Já Bodee... Esse me ganhou. Me conquistou. Me convenceu. Ele é daqueles personagens que você tem vontade de ajudar, fazer as coisas se acertarem porque ele decididamente merece ser feliz

Os Personagens Secundários: A família e amigas de Alexi me irritaram profundamente. Não conseguia me conformar com a incapacidade dessas pessoas de perceberem o quanto as coisas estavam erradas. Ok você não saber o que tem de errado, mas você sente quando tem algo errado com algém com quem você se importa. Pelo menos eu imagino que sinta né. Mas o pior de tudo, é que essa situação deve acontecer a todo tempo na vida real. É absurdo.

Capa, Diagramação e EscritaNão costumo gostar de capas com rostos, mas essa me conquistou. A modelo parece muito com a Alexi da minha cabeça, e não sei... Seu olhar tem algo que a torna mais real.
Quanto à escrita, é bastante truncada, não foi uma leitura fácil e o livro perdeu muito por isso. Outro ponto é que Alexi, como narradora, foi cansativa para mim - talvez devido aos sentimentos contraditórios que a personagem despertou em mim. Mas, acredito que ninguém que leia esse livro vai discordar: Bodee, como narrador, teria feito milagres com a história.

ConcluindoEsse é um livro para quem gosta do tema, do estilo... Mas não é para qualquer um. Eu amo esse estilo de livro, e ainda assim achei a leitura muito difícil. 
Arrisco dizer que, se fosse uma obra autobiográfica, ela seria perfeita. Mas como obra literária, faltou o tal do distanciamento do qual já falei ali em cima. 
Agora um comentário final: fiquei chocada quando descobri que esse livro faz parte de uma série. Ele definitivamente não precisava de uma continuação


Classificação: