Resenha - Está no Meu Sangue

Resenha feita pela Luh!  
Título: Está no Meu Sangue
Título Original: Because It Is My Blood
Série: Birthright
1- Todas as Coisas Que Eu Já Fiz (2012)
2- Está no Meu Sangue
3- In the Age of Love and Chocolate (2013 US)
Autor: Gabrielle Zevin
Editora: Rocco
Páginas: 320
Ano: 2013
Saiba mais: Skoob
Comprar: Saraiva // Fnac // Submarino // Extra

Esperava um pouco mais.
Atenção: Essa resenha NÃO contém spoilers de Todas as Coisas Que Eu Já Fiz.

Sinopse: Está no meu sangue traz de volta a jovem Anya Balanchine frente a situações que vão testar sua coragem e seu coração, na Nova York do futuro, empobrecida e perigosa, criada pela autora Gabielle Zevin. Filha de um dos grandes chefões do crime organizado, responsável pela venda ilegal de chocolate e outros itens proibidos, Anya queria apenas levar uma vida normal. Mas o destino parece ter outros planos para ela, nesta trama de distopia repleta de ação que traz profundas reflexões sobre amor, família, ética e amizade.

A Trama: Faz aproximadamente um ano e meio que eu li o primeiro volume da série, então é claro que achei o início um pouquinho confuso, principalmente porque ele começa logo onde Todas as Coisas Que Eu Já Fiz terminou, sem dar nenhum tipo de resumo dos fatos. Porém, fui relembrando a trama e logo estava novamente imersa na complicada vida de Anya Balanchine. A trama é complexa, todos os personagens parecem ter planos ocultos envolvendo Anya e é difícil discernir as intenções de cada um. Não há tanta "ação" quanto no primeiro livro, mas a autora explica melhor alguns acontecimentos como a proibição do chocolate e foca na evolução dos personagens.

A ProtagonistaAnya já havia amadurecido muito e manteve-se fiel ao que acredita. A garota era jogada em uma situação ruim após a outra, enquanto tentava manter seus amigos e família em segurança. Entretanto, a protagonista conseguiu demonstrar sua falta de experiência ao colocar-se em algumas situações perigosas. Anya é uma boa protagonista, porém ela me entediou em certos trechos do livro.

Os Personagens Secundários: Enquanto a trama pode parecer anticlimática, se comparada à do livro anterior, os personagens certamente progrediram. Natty está lentamente tornando-se uma garota admirável, a família Balanchine traz toda a ação e perigo necessários e descobrimos um pouco mais sobre o pai de Anya. Além disso, adorei conhecer o lado mais humano de Charles Delacroix, meu personagem predileto nesse volume, que passou de antagonista para uma pessoa com defeitos.

Capa, Diagramação e Escrita: Eu gosto muito dessa capa, mas ela tem um defeito grave, não combina muito com a do livro anterior da série, apesar de eu apreciar os esforços da editora em combinar ao menos a fonte. Eu gostei das cores, no entanto a modelo também não me agradou muito. Sobre a diagramação interna, a fonte é ótima, mas já aviso que as folhas são brancas.
A escrita de Gabrielle parece não ter avançado muito e consegue me prender quando necessário, mas também fica um pouco monótona em algumas cenas, principalmente ao tentar descrever os sentimentos de Anya.

Concluindo: Certas partes do livro foram melhores que as do anterior, porém senti falta de um pouco mais de ação. Por outro lado, gostei muito de conhecer melhor alguns dos personagens, e definitivamente me surpreendi em algumas das reviravoltas. 

Classificação: