Resenha - Americanah

Resenha feita pela Luh!  
Título: Americanah
Título Original: Americanah
Livro Único.
Autora: Chimamanda Ngozi Adichie
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 516
Saiba mais: Skoob
Comprar: Submarino

Infelizmente, não era pra mim.

Sinopse: Lagos, anos 1990. Enquanto Ifemelu e Obinze vivem o idílio do primeiro amor, a Nigéria enfrenta tempos sombrios sob um governo militar. Em busca de alternativas às universidades nacionais, paralisadas por sucessivas greves, a jovem Ifemelu muda-se para os Estados Unidos. Ao mesmo tempo que se destaca no meio acadêmico, ela se depara pela primeira vez com a questão racial e com as agruras da vida de imigrante, mulher e negra. Quinze anos mais tarde, Ifemelu é uma blogueira aclamada nos Estados Unidos, mas o tempo e o sucesso não atenuaram o apego à sua terra natal, tampouco anularam sua ligação com Obinze. Quando ela volta para a Nigéria, terá de encontrar seu lugar num país muito diferente do que deixou e na vida de seu companheiro de adolescência. Chimamanda Ngozi Adichie parte de uma história de amor para debater questões prementes e universais como imigração, preconceito racial e desigualdade de gênero.

A Trama: Após terminar o livro, dei uma olhada nas críticas, para entender o que as outras pessoas gostaram ou não gostaram nele. A verdade é que esse parece ser um clássico "ame ou odeie", e eu não gostei. Americanah trata de assuntos importantes, como a imigração de africanos para os Estados Unidos, as dificuldades de ser negro no país e etc. Entretanto, a premissa do livro é uma história de amor entre Obinze e Ifemelu, e os trechos com algum romance de fato são quase inexistentes.
O que eu mais vi em Americanah foi a protagonista expondo suas opiniões sobre os Estados Unidos, e a verdade é que o livro me pareceu um pouco sensacionalista. Não estou tirando os méritos da autora por tentar expor a realidade dos imigrantes, porém a maior parte da "trama" só apresenta críticas, ou pequenas cenas que mencionam as opiniões e situações de outras pessoas em relação aos temas que a autora tenta abordar. O livro não é necessariamente ruim, mas foi "vendido" de forma um pouco enganosa.

A ProtagonistaIfemelu passou por uma vida que teve suas dificuldades. A protagonista me pareceu uma pessoa bem ácida, amarga, o que tornou difícil simpatizar com ela. É da natureza humana julgar as outras pessoas, porém a maneira como Ifemelu o fazia dava a impressão de que ela parecia se sentir no direito de dar opiniões desnecessárias. 

Os Personagens Secundários: Obinze é um personagem um pouco mais carismático, o que tornou os poucos trechos em que ele aparecia, os mais agradáveis. A maior parte dos outros personagens não tem tanto destaque ou simplesmente não conseguiu me prender, e acredito que esse seja o ponto fraco da trama.

Capa, Diagramação e Escrita: A capa só merece elogios. Muito melhor que a original, com cores vivas e bonitas. A diagramação e revisão também estão ótimas, apesar de eu ter me perdido um pouquinho no início com alguns termos.
A escrita da autora infelizmente não me ganhou. Sua narrativa é cansativa, com informações demais e um ritmo lento, sem falar nas inúmeras cenas desnecessárias.

Concluindo: Considerando que não sou americana, imigrante ou africana, acredito que parte do problema é que não me encontro entre o público-alvo do livro, que pode apreciá-lo de uma maneira que eu não consegui. Como falei, não é exatamente um livro ruim, mas não funcionou para mim.


Classificação: