Resenha - Ordem de Extermínio

Resenha feita pela Luh!  
Título: Ordem de Extermínio
Título Original: The Kill Order
Série: Maze Runner
1- Correr ou Morrer (2010)
2- Prova de Fogo (2011)
3- A Cura Mortal (2012)
4- Ordem de Extermínio (Prequel) (2013)
Autor: James Dashner
Editora: V & R
Páginas: 378
Ano: 2013
Saiba mais: Skoob
Comprar: Extra // Saraiva

Simplesmente desnecessário.
Atenção: Essa resenha NÃO contém spoilers dos outros livros da série.

Sinopse: Antes de o CRUEL existir, antes que houvesse o Labirinto e muito antes que Thomas ingressasse na Clareira, as chamas solares assolaram a Terra e destruíram o mundo que a humanidade considerava salvo... Mark e Trina estavam lá quando tudo aconteceu, e sobreviveram. Mas sobreviver às chamas foi fácil se comparado ao que viria depois. Agora, um vírus que toma conta da mente com violência e dor se espalha por todo lugar e existe algo muito suspeito sobre sua origem. Pior ainda: ele está em mutação e as evidências sugerem que a humanidade se ajoelhará diante do caos, prevendo uma morte inevitável e assustadora. Mark e Trina estão convencidos de que existe uma maneira de salvar os poucos que restaram. E estão certos de que podem encontrá-los. Porque neste novo e devastado mundo, cada vida tem um preço. A sua também. E para alguns, você vale muito mais morto do que vivo.

A Trama: Para começar, Ordem de Extermínio só deve ser lido após a trilogia, apesar de se passar treze anos antes. A trama é quase que completamente feita de cenas de luta, com muitas mortes, explosões, sangue e momentos de falta de ar (o protagonista mal respirava nas lutas). Para quem gosta de uma trama sem muita profundidade, talvez o livro seja divertido, porém eu terminei as quase 400 páginas com a sensação de que Ordem de Extermínio não acrescenta nada à série. Em defesa do livro, ele explica o início de alguns acontecimentos como as chamas solares e o Fulgor, que você passa a conhecer ao longo da trama, porém tudo isso poderia ter sido inserido em uma cena curta no epílogo de A Cura Mortal. No geral, são muitas e muitas páginas de cenas feitas para "preencher" o livro e uma trama divertida, porém inútil.

O ProtagonistaAqui preciso parabenizar o autor, Mark definitivamente é um protagonista melhor que Thomas, sendo mais maduro e astuto, além de reagir de maneira realista a cada situação apresentada. Mark ainda é bem jovem, porém compreende rapidamente que é preciso ser firme para sobreviver em um mundo apocalíptico e nunca esquece que ele e seus amigos são a prioridade. Gostei muito dos dilemas morais do protagonista ao tentar decidir o que vale ou não arriscar sua vida.

Os Personagens Secundários: Adorei o velho Alec, um ex-militar que parecia o Rambo e não tinha pena dos inimigos. Trina, a melhor amiga de Mark e vizinha há anos, também foi uma personagem interessante, com sua compaixão e doçura, apesar de não receber tanto espaço na trama quanto eu esperava. 

Capa, Diagramação e Escrita: Apesar de eu não ter conseguido identificar a cena ilustrada na trama, amei as cores dessa capa, com um título prateado (levemente azul?) e um laranja bem forte. A diagramação interna é como a dos outros livros da série, nada de especial, mas com um espaçamento menor entre as linhas.
A escrita de James não é das minhas prediletas, pela quantidade de informações desnecessárias, mas os diálogos são ótimos.

Concluindo: Continuei sem ter muitas respostas, o que deu a impressão de que esse livro não teve utilidade. Além disso, infelizmente, a versão nacional (e a maioria das outras versões) não incluem uma cena extra, de quando Thomas e Theresa se conhecem, que é a ligação entre esse livro e o resto da série. Ainda assim, é um livro interessante com diversas cenas envolventes e se você já leu os outros três, talvez valha a pena conhecer o fim da série.
Classificação: